Tag: Série B

Reforços do Sampaio, Esquerdinha foi maestro da ascensão do Altos e Carlão já marcou contra o Tricolor

O atacante Carlão e o meia Esquerdinha foram os dois últimos reforços anunciados pelo Sampaio. Da dupla, o meia voltará a trabalhar com o técnico Francisco Diá, que teve uma passagem no Altos em 2017, e o atacante chega ao Tricolor com uma média de um gol a cada quatro jogos, número interessante para quem, inicialmente, deve ser opção do elenco, mas com possibilidade de brigar por uma vaga no time titular.

Aos 26 anos, Esquerdinha chegou no Altos em 2015 com 24 anos e foi fundamental na campanha de ascenção do Jacaré do interior piauiense. Logo na primeira temporada, assumiu a camisa 10 e ajudou na conquista do título da Série B do Campeonato Piauiense. No ano seguinte, no primeiro ano do clube na elite piauiense, chegou ao vice-campeonato, que garantiu a classificação da equipe para a Série D, onde conseguiu chegar até a terceira fase em seu debute em torneios nacionais.

Nas duas últimas temporadas, com o Altos consolidado no Piauí, garantiu o bicampeonato estadual em 2017-18, com a conquista recente no último domingo. No total, Esquerdinha disputou 105 jogos pelo Altos e anotou 11 gols durante a passagem no clube piuaiense. Em 2018, contabiliza três gols e 20 jogos disputados. Lesões foram raras em sua passagem no Jacaré.

O atacante Carlão completa o setor ofensivo depois de disputar o Paulistão pelo São Caetano, onde marcou apenas dois gols em 10 jogos. Apesar do número baixo de gols em 2018, na temporada anterior, também pelo Azulão, o jogador de 25 anos viveu sua melhor temporada, com 17 gols marcados em 41 jogos, praticamente um gol a cada três partidas.

Revelado pelo Paulista em 2012, Carlão ainda conta com uma breve passagem pelo Grêmio sub-20. Na carreira, o atacante disputará a Série B pela segunda vez na carreira. Em 2015, o atacante defendeu o Paraná onde marcou seis gols em 14 jogos disputados, com direito a um gol contra o Sampaio, no empate em 1 a 1 no Castelão. No geral de sua carreira são 158 jogos e 44 gols marcados, média de um gol a cada quatro jogos.

Sampaio 2×0 Coritiba: Tricolor leva a melhor na marcação e encontra triunfo pelas pontas

Lucas Almeida / L17 Comunicação

Triunfo nas marcações individuais e aproveitando as pontas do campo. Assim, o Sampaio construiu, sem sustos, o triunfo por 2 a 0 diante do Coritiba. Vitória que encerra três sequências negativas do Tricolor na temporada: o jejum de vitórias nas quatro partidas anteriores, a série de três jogos sem marcar gols e a ausência de triunfos no Castelão.

Com vitória diante do Coritiba, o Sampaio repete a estreia de 2015, quando venceu o Vitória por 2 a 0 na rodada de abertura e fechou o ano com sua melhor campanha na Série B por pontos corridos. O triunfo acalma os ânimos e deixa o Tricolor pronto para a maratona que terá pela frente com confrontos da pré-Copa do Nordeste e as próximas duas rodadas da Série B, longe de São Luís.

A vitória foi construída principalmente pelo bom jogo dos estreantes Danielzinho e Bruninho. Atuando nas pontas, preferencialmente pela direita, enquanto Marlon apoiava o meio-campo e encostava com Uilliam para levar perigo ofensivamente, além de arriscar chutes de fora da área. O Coritiba, tentava girar a bola para forçar o jogo nas laterais, mas Pablo, principalmente quando buscava o jogo por dentro foi presa fácil para a marcação Tricolor.

O gol veio contra após Thalyson mandar para o fundo da rede quando tentou interceptar a jogada de Kaike. Na etapa final, com a vantagem no placar, o Tricolor fez o recuo natural do time, mas sem aliviar na marcação. A recompensa veio aos 38, após excelente jogada de João Paulo, que achou Uilliam para garantir a vitória.

O domínio do Tricolor também é refletido nos números finais do jogo. Marlon foi o principal criador de oportunidades, com quatro assistências para finalizações, enquanto Silva e William Oliveira foram os destaques nos desarmes, cada um com quatro ao longo da partida.

Primeira meta do Sampaio é se manter na Série B

De volta à Série B após um ano na Série C, o Sampaio precisa entrar na competição com o foco na permanência para 2019. Com um elenco extremamente jovem, média de apenas 24,5 anos, o Tricolor naturalmente sonha em surpreender, mas antes de pensar em voos mais altos precisa chegar aos 45 pontos, que historicamente, garantem a permanência entre os 40 melhores clubes do Brasil.

Um dos principais adversários do Sampaio na competição deverá ser o elenco. Apesar dos reforços contratados, o time comandado por Francisco Diá tem uma boa equipe titular, mas que cai de nível quando exige a rotação do time. Dentre os possíveis reservas na Série B, o meio-campo é o setor onde o equilíbrio é maior, com a presença de César Sampaio, Silva e Fernando Sobral como opções quando algum dos titulares não estiverem disponíveis.

A eliminação no Campeonato Maranhense serve como um alerta para a sequência da Série B. Além disso, Diá terá que lidar com a maratona de jogos logo no primeiro mês de competição. Com a participação da equipe no pré-Nordestão serão sete jogos em 21 dias, com duas viagens desgastantes para Campinas (Guarani x Sampaio, 2ª rodada) e Goiânia (Vila Nova x Sampaio, 3ª rodada).

O Sampaio também precisa voltar a fazer o ataque funcionar. O último gol do Tricolor foi no dia 11 de março, quando perdeu por 2 a 1 para o Ceará, desde então são três jogos sem marcar e quatro partidas sem vencer na temporada.

A caminhada na Série B vai começar. Sonhar em surpreender não é proibido, mas primeiro o Tricolor tem que garantir a sua permanência, para depois pensar em voos mais altos.

Sampaio tem o segundo elenco mais jovem da Série B

Uma das marcas do técnico Francisco Diá desde sua chegada ao Sampaio é a aposta em contratação de jovens jogadores. O acesso para a Série B não mudou o perfil de atletas que o treinador busca e isso é refletido ao constatar que o Tricolor maranhense tem o segundo elenco mais jovem da Série B, de acordo com o site oGol.

A média de idade do elenco Tricolor é de apenas 24,50 anos, ficando a frente apenas da Ponte Preta, com média de 23,06. O time com a maior média de idade do torneio é o CRB, com 27,91. No geral, nove equipes apresentam elencos com média inferior aos 25 anos: Ponte Preta, Sampaio, Goiás, Atlético-GO, Coritiba, Avaí, Londrina, Oeste e Boa Esporte.

No perfil de reforços adotados por Diá, desde sua chegada ao Sampaio, apenas o zagueiro Fredson (32 anos) e o atacante Isac (31 anos) chegaram acima dos 30 anos. O atacante Isac logo após a Série C deixou o clube e acertou com o Remo, enquanto Fredson é titular da zaga ao lado de Maracás.

Dentre os jogadores contratados para a Série B, o volante Diego Silva, que retorna após quatro meses no Atlético-GO, é o atleta mais velho, com 28 anos. A média de idade das equipes mostra também, que mesmo com a presença de medalhões na Série B, há espaço para jovens jogadores, que devem ser utilizados naturalmente ao longo da temporada.

Em relação a valor de mercado, o elenco do Sampaio é avaliado em apenas 2,05 mi pelo site Transfermarkt. O jogador mais valioso do Tricolor é o volante William Oliveira, avaliado em € 550 mil, enquanto o goleiro Warleson, emprestado pelo Atlético-PR, é o menos valioso, avaliado em € 50 mil.

Média de idade dos elencos da Série B
Ponte Preta 23,06
Sampaio 24,50
Goiás 24,52
Atlético-GO 24,57
Coritiba 24,56
Avaí 24,75
Londrina 24,77
Oeste 24,96
Boa 24,98
Criciúma 25,22
Vila Nova 25,27
Paysandu 25,35
Guarani 25,54
Fortaleza 25,57
Juventude 25,76
Figueirense 25,92
Brasil de Pelotas 26,42
CSA 26,93
São Bento 27,41
CRB 27,91

Alvinho chega ao Sampaio no melhor ano de sua carreira

Aos 25 anos, Alvinho chega ao Sampaio com a missão de ser a referência do ataque Tricolor. Artilheiro do São Bernardo na Série A2, com nove gols em 15 jogos, o atacante vive a melhor fase de sua carreira e voltará a disputar a Série B após quatro anos.

Além da tendência de ser utilizado como atacante de referência, Alvinho costuma jogar pelas pontas, função que executava quando surgiu no futebol. Nesse caso, o atacante atua principalmente pelo lado esquerdo, sempre preferindo a infiltração na área do que avançar até a linha de fundo para tentar cruzamentos.

Antes de defender o São Bernardo, a melhor temporada de Alvinho foi em 2017, com quatro gols marcados, em nove jogos pelo Gama e sete pelo São Bernardo. Em 2018, na Série A2, com o atacante atuando mais centralizado, conseguiu superar o dobro de gols do ano anterior em apenas três meses.

No Sampaio, Alvinho precisará confirmar que a temporada goleadora não é apenas um acaso em sua carreira. A concorrência pela vaga será com Uilliam, que conta com 10 gols em 16 jogos no ano.

O pacotão de reforços do Sampaio para a Série B

João Paulo, Alyson e Claudio Maradona já deram as caras, o volante William estreou diante do CSA e o atacante Magrão, por enquanto está descartado. Além do quarteto, o Sampaio contará com a volta do volante Diego Silva, melhor jogador da equipe em 2017, e a chegada do lateral-direito Marcelo, do Macaé, e dos meias Danielzinho, do Linense, e Bruninho, do XV de Piracicaba, em seu pacotão de reforços para a Série B.

Dos quatro últimos atletas acertados, o lateral Marcelo, de 26 anos, chega, provavelmente para ocupar a vaga como titular. Jogador de suporte ofensivo e defensivo, foi titular no Macaé durante o Campeonato Carioca, com um gol marcado nos 16 jogos disputados.

Passando para o meio-campo, Diego Silva chega praticamente como uma peça de reposição após a saída de Yuri, que foi um dos destaques do time no início de 2018. O retorno do volante, fundamental na campanha do acesso em 2017, é um acréscimo importante para o time do técnico Francisco Diá. Em seu primeiro ano no Sampaio, Diego se notabilizou pelo suporte ofensivo como elemento surpreso e era o responsável pelas segundas bolas no campo adversário. Em sua breve passagem pelo Atlético-GO foram 12 jogos disputados em 2018.

Completando o meio-campo, Danielzinho chega como possível jogador que revezará a função de meia-central no Sampaio com Marlon. Pelo Linense, o jogador de 23 anos chegou a executar esse papel, mas pouco finalizou durante o Paulistão, com apenas dois chutes certos em sete jogos disputados. O atleta tem como referência sua capacidade de organizar o jogo, sendo o destaque do time do interior, com 166 passes (média de 23,7 por jogo). Além de ponta, pode atuar também como meia-central.

Fechando o quarteto dos últimos reforços está Bruninho, de 22 anos. Revelado pelo XV de Piracicaba em 2015, o ponta chega ao Sampaio após viver sua melhor temporada. Em 2017, marcou 11 gols durante a Série A2 e a Copa Paulista, com 41 jogos disputados. Em 2018, foram dois gols em 10 partidas. No total de sua carreira já foram 86 jogos disputados 16 gols marcados, números dentro da média de um ponta.

Bruninho chega ao Sampaio como uma das principais alternativas de drible. Para a função, o Tricolor conta atualmente apenas com Rodrigo Fumaça, que se destaca pela velocidade, e Claudio Maradona, recém-chegado, que devem disputar a posição com o novo atleta.

Rendimento do Sampaio cai e Tricolor fecha março sem vitórias no Castelão

Após o excelente início de temporada, com grandes vitórias no Campeonato Maranhense e vitórias diante do Ceará e Paraná, o Sampaio vive o seu pior momento de 2018. Curiosamente, desde o triunfo por 1 a 0 diante do Vozão no Castelão, o aproveitamento da equipe comandada por Francisco Diá despencou de 80,9% para 52,9%. A situação se torna ainda mais grave, porque nos três jogos em casa no mês de março, o Tubarão não venceu nenhuma das partidas.

Além das derrotas, março reservou duas eliminações para o Sampaio, no Campeonato Maranhense e na Copa do Brasil. No Estadual, após derrotas para o Imperatriz e MAC, o Tricolor precisava, pelo menos, de um empate contra o Cordino para ter chance de chegar na semifinal. Perdeu por 2 a 1 e foi eliminado com uma rodada de antecedência.

A eliminação causou um cenário que não ocorria desde 2007, com a presença do Sampaio fora dos quatro melhores do Estadual e pode deixar o time fora da Copa do Brasil, o que não ocorre desde 2009. No mesmo mês, o Tricolor foi eliminado pela Ponte Preta na terceira fase da Copa do Brasil. Após o empate sem gols nos dois jogos, a Macaca levou a melhor na decisão nos pênaltis no Castelão, triunfando por 5 a 4.

Outro ponto que chama atenção é a queda do rendimento ofensivo. Nos sete primeiros jogos da temporada, foram 14 gols marcados, uma média de dois por jogo. Nos últimos 10 jogos, apenas oito gols e desde o dia 11 de março a equipe de Francisco Diá não consegue chegar à meta adversária.

Para a estreia na Série B, o Sampaio terá duas semanas desde o empate contra o CSA até a partida diante do Coritiba, no Castelão. Tempo no qual Diá precisará corrigir os problemas do Tricolor nos últimos jogos para tentar reencontrar o caminho dos gols e das vitórias.

Com classificação no Nordestão, Sampaio acumula R$ 3,8 milhões em premiação em 2018

A vaga inédita nas quartas de final da Copa do Nordeste garantiu mais R$ 450 mil nos cofres do Sampaio para a sequência da temporada. Com o acréscimo do valor, o Tricolor chega ao acumulado de R$ 3,8 milhões em premiação em 2018, considerando os valores recebidos na primeira fase da Copa do Nordeste e na Copa do Brasil.

Com a participação na fase de grupos da Copa do Nordeste, o Sampaio recebeu a cota de R$ 850 mil. No torneio regional, o Tricolor já arrecadou R$ 1,3 milhão em 2018. No Nordestão o time maranhense ainda pode aumentar a arrecadação caso seja semifinalista, garantindo uma premiação de R$ 550 mil e na decisão o valor é conforme o resultado: R$ 1,5 milhão para o campeão e R$ 600 mil para o vice.

Na Copa do Brasil, pela participação na primeira fase o Sampaio recebeu R$ 500 mil e com a classificação para a segunda e terceira fase, respectivamente, R$ 600 mil e R$ 1,4 milhão. No total, o Tubarão acumulou R$ 2,5 milhões no torneio nacional.

Além dos valores do Nordestão e da Copa do Brasil, o Sampaio contabiliza R$ 150 mil recebidos pela participação no Campeonato Maranhense e R$ 6 milhões referentes às cotas de TV na Série B. Somente com premiações e cotas, o Tricolor tem um faturamento estimado R$ 9,9 milhões em para 2018.