Tag: São José

As semifinais do Campeonato Maranhense

Lucas Almeida / L17 Comunicação

Imperatriz, São José, Moto e Maranhão começam a definir os dois finalistas do Campeonato Maranhense neste fim de semana. Cada equipe com seus méritos e do quarteto, o Rubro-Negro, que chega invicto à fase decisva do Estadual, desponta como o favorito ao título de 2018.

São José: a surpresa comandada por Diego Batata
A meta do São José era escapar do rebaixamento no Campeonato Maranhense. Sob o comando de Luís Miguel o time foi além e garantiu a classificação para a semifinal, com a terceira melhor campanha na primeira fase.

No decorrer do Estadual, o Peixe Pedra também contou com a chegada do seu principal reforço, o meia Diego Batata. Aos 28 anos, o jogador é o melhor cobrador de faltas do Campeonato Maranhense e conta com dois gols e três assistências em quatro jogos na competição.

Imperatriz: poderio ofensivo e embalado com Vinícius Saldanha
Nos quatro jogos sob o comando do técnico Vinícius Saldanha foram três vitórias e apenas uma derrota, exatamente no jogo em que o ataque não funcionou. Com o segundo melhor ataque do Maranhense, o Cavalo de Aço conta com sete gols marcados nas últimas quatro partidas.

O zagueiro André Penalva é o artilheiro do time e representa perigo nos lances de bola parada. Além do apoio ofensivo, o zagueiro é um dos melhores jogadores da posição no Estadual.

Moto: melhor ataque e time dos contra-ataques
São 15 gols marcados nos sete jogos disputados e melhor ataque do Campeonato Maranhense. Sob o comando do técnico Marcinho Guerreiro, o Moto chega para a semifinal como o único time invicto e com possibilidade de repetir o feito de 1984 do Sampaio, quando conquistou o Maranhense invicto.

Sem a presença de um goleador no elenco, a velocidade dos pontas, principalmente com Shailison no segundo tempo, é a aposta para furar a defesa dos adversários. Durante o Estadual, dos 15 gols, cinco saíram após os 30 do segundo tempo.

Maranhão: aposta na defesa para ser finalista
Classificado como quarto colocado na primeira fase, o MAC tenta fazer o ataque funcionar na reta decisva do Estadual. Com apenas sete gols marcados, o Quadricolor tem o pior setor ofensivo dentre os semifinalista, mas compensa com a melhor defesa, com apenas seis gols sofridos no Estadual.

O meio-campo é a alma da equipe atleticana, com destaque para Eloir, o jogador com mais participação ofensiva na equipe, com um gol e duas assistência na temporada.

Clubes receberão R$ 795 mil no Campeonato Maranhense

O recurso de R$ 1,5 milhão liberado pela Lei de Incentivo ao Esporte para o Campeonato Maranhense conta com apenas R$ 795 mil destinado aos clubes, enquanto R$ 705 mil serão para a transmissão do Estadual. Dentre os times, o Sampaio receberá a maior cota com R$ 150 mil.

O Moto aparece em segundo na lista com direito a R$ 120 mil, seguido pelo trio formado por MAC, Cordino e Imperatriz, cada um com R$ 115 mil. Fecham a lista São José, Bacabal e Santa Quitéria com R$ 60 mil.

Em relação a 2017 o valor destinado para o Campeonato Maranhense sofreu uma redução de R$ 300 mil. No total, na temporada anterior foram R$ 1,8mi destinado ao Campeonato Maranhense, com rateio entre clubes, emissora e a FMF.

Semifinais do Campeonato Maranhense sem artilheiros

O Campeonato Maranhense de 2018 é o torneio com a maior média de gols de 2015, mas chega às semifinais com a ausência dos principais artilheiros. Os atacantes Uilliam (Sampaio) e Ulisses (Cordino), respectivamente, com sete e seis gols, são os goleadores do Estadual, mas suas equipes foram eliminadas na fase de classificação.

Tal feito não acontece no Campeonato Maranhense desde 1999. O regulamento daquela edição era diferente e não havia semifinais. O comparativo pode ser feito porque o Ferroviário ficou fora das quatro primeiras colocações da competição, que terminou com o título do MAC e a artilharia de Chita, autor de 19 gols.

Desde então, todos os artilheiros do Campeonato Maranhense, no mínimo, chegaram nas semifinais do torneio. Nas duas edições disputadas por pontos corridos, em 2010 e 2011, Quirino (Santa Quitéria) e Naoh (MAC), respectivamente, foram os goleadores e ajudaram suas equipes na conquista do vice-campeonato maranhense.

Em 2018, o cenário mudará somente se Val Barreto (Moto), Ivanilton (São José) ou André Penalva (Imperatriz) conseguirem aproveitar os jogos decisivos para balançarem as redes com a frequência acima do normal no Campeonato Maranhense. Todos tem apenas três gols.

Como citado no início do texto, o Estadula de 2018 tem a maior média de gols desde 2015, com 75 gols em 28 jogos (média de 2,87). Na sequência aparece o torneio de 2015, com 120 gols em 42 jogos e média de 2,86, seguido por 2014, com 155 gols em 57 jogos e média de 2,72 gols por jogo.

Números e destaques dos semifinalistas do Campeonato Maranhense

Lucas Almeida / L17 Comunicação

Com o término da fase classificatória, o Campeonato Maranhense terá uma breve pausa de 10 dias até os jogos de ida da semifinal. Com o Sampaio fora, o Moto enfrentará o Maranhão e a disputa da outra vaga será entre São José e Imperatriz. O Rubro-Negro e o Cavalo de Aço, que terminaram, respectivamente na primeira e segunda colocação, contam com a vantagem do empate no placar agregado e terão o mando de campo no jogo de volta.

Moto: único invicto do Campeonato Maranhense
Com 71,4% de aproveitamento, o Rubro-Negro é o único invicto do Campeonato Maranhense, com quatro vitórias e três empates. O ataque é o ponto forte da equipe, com 17 gols marcados, uma média de 2,12 gols por jogo.

O destaque individual fica por conta do meia Everlan. Atuando pela ponta esquerda, ou centralizado, o meia é o motor do time e nos seis jogos disputados, conta com dois gols e uma assistências.

Imperatriz: zagueiro artilheiro comanda o Cavalo de Aço
Depois de um começo com tropeços, o Imperatriz se recuperou com a chegada do técnico Vinícius Saldanha e o ataque passou a corresponder. Nos últimos quatro jogos foram sete gols marcados, deixando a equipe com o segundo melhor poderio ofensivo do Estadual, com 12 gols marcados.

O zagueiro André Penalva é o destaque do Alvirrubro. Além da proteção na zaga, o defensor aparece como perigo no ataque e já conta com três gols no Campeonato Maranhense, onde é o artilheiro do Imperatriz.

São José: a surpresa do Estadual
O São José começou o Campeonato Maranhense com o claro objetivo de escapar do rebaixamento. Foi além, garantiu uma vaga na semifinal e, apesar da crise financeira, tentará continuar surpreendendo no Estadual, mas precisa melhorar a defesa, que foi furada pelos adversários em 10 oportunidades na fase de classificação.

Diego Batata, contratado durante o Estadual, é o principal jogador da equipe. Perigoso nas bolas paradas, o meia de 28 anos, conta com dois gols e três assistências em quatro jogos disputados.

Maranhão: a instabilidade e a melhor defesa do Maranhense
O MAC é o time que mais oscilou na fase de classificação e chegou a ter a vaga nas semifinais ameaçada durante a fase classificatória. A equipe conseguiu a recuperação com os triunfos diante do Sampaio e Imperatriz, mas perdeu para o Moto na última rodada. A defesa é o ponto forte dos comandados de Meinha, com apenas seis gols sofridos na fase classificatória.

O meia Eloir, que atuou como volante nas últimas partidas, é o destaque da equipe atleticana. Quando tem liberdade ofensiva, o jogador aumenta o poderio ofensivo do Quadricolor e conta com duas assistências e um gol em 2018.

Sampaio fora e apenas uma vaga indefinida para as semifinais do Maranhense

Lucas Almeida / L17 Comunicação

A penúltima rodada do Campeonato Maranhense consolidou duas grandes surpresas, com a classificação do São José e a eliminação do Sampaio. Apenas uma vaga nas semifinais está indefinida e será decidida entre Cordino e Imperatriz, no confronto direto da última rodada.

As vitórias do MAC e São José, respectivamente, diante do Imperatriz e Bacabal, foram fundamentais para a classificação antecipada das equipes. O Quadricolor voltou a derrubar um líder na rodada, ao vencer o Cavalo de Aço por 1 a 0, com gol de Felipe.

No interior, o São José venceu o Bacabal por 1 a 0, assumindo a vice-liderança do torneio. Neste domingo, o resultado mais surpreendente da rodada com o triunfo do Cordino por 2 a 1 diante do Sampaio, no Castelão. Foi a terceira derrota consecutiva do Tricolor, que com apenas sete pontos, não tem mais chances de classificação para a semifinal.

Em um jogo de baixo nível e equilibrado, Ulisses marcou os dois gols da equipe de Barra do Corda, enquanto o Tricolor descontou com Marlon. Curiosamente, no Campeonato Maranhense, o Sampaio conseguiu vitórias apenas sobre os dois últimos colocados, empatou com o Moto e perdeu os confrontos contra diretos por vaga no G-4 (Imperatriz, Maranhão e Cordino).

Pelo lado do Cordino, a equipe consegue iniciar uma recuperação com o retorno do técnico Marlon Cutrim. O empate e a vitória nas duas últimas rodadas mantém a Onça com chances de classificação e dependendo de um triunfo simples diante do Imperatriz para ser finalista do Maranhense.

Melhores ataques lideram o Campeonato Maranhense

Imperatriz, Moto e São José são os três primeiros do Campeonato Maranhense e, coincidentemente, detem os melhores ataques do Estadual. Nos cinco jogos disputados, cada equipe marcou 10 gols, com destaque para os confrontos diante do Santa Quitéria, onde o Cavalo de Aço marcaram três vezes, enquanto o Peixe Pedra balançou as redes quatro vezes.

Além do melhor ataque, o trio também não deixou de balançar as redes adversárias em nenhuma rodada. O Cordino, atualmente na quinta colocação, também marcou gols em todas as rodadas do Campeonato Maranhense e tem o terceiro melhor ataque do torneio, com seis gols marcados.

Curiosamente, nenhum dos artilheiros das equipes tem mais de três gols no Estadual. No Imperatriz, Kanu, Adauto e André Penalva são os goleadores com dois gols marcados, enquanto no São José o principal artilheiro da equipe é Ivanilton, com três gols, e no Moto, Bruno Menezes conta com dois gols marcados, mesmo número do atacante Jefferson Araújo, que deixou o Rubro-Negro após a terceira rodada.

O rendimento defensivo merece destaque apenas para Imperatriz e Moto, que ficam com o terceiro melhor setor do Estadual, com seis gols sofridos, ficando atrás do MAC (4 gols sofridos) e Sampaio (5 gols sofridos). O São José tem a terceira pior defesa do torneio, com oito gols sofridos nos cinco jogos disputados.

Imperatriz e Moto perto da classificação e mudanças no G-4 do Maranhense

A quinta rodada do Campeonato Maranhense deixou Imperatriz e Moto próximos da classificação, enquanto aumentou a concorrência com São José, MAC, Cordino e Sampaio por duas vagas para as semifinais. Com os seus triunfos do fim de semana, o Cavalo de Aço e o Rubro-Negro precisam apenas de mais uma vitória para selarem a vaga na próxima fase do Campeonato Maranhense.

Com Vinícius Saldanha no comando, o Imperatriz venceu o segundo jogo seguido para assumir a liderança do Campeonato Maranhense, com 10 pontos. Adauto, que marcou o segundo gol no triunfo contra o Sampaio, começou como titular e abriu caminho com mais um gol em sua segunda partida pelo Cavalo de Aço, sendo fundamental no triunfo por 3 a 1 diante do Santa Quitéria.

O Moto, único invicto do Campeonato Maranhense, quase se complicou diante do Bacabal. Chegou a ficar com um a menos após a expulsão de Everlan, mas Shailison marcou o gol do triunfo por 1 a 0 diante do Leão do Mearim. O alviazul e o Santa Quitéria estão isolados na briga contra o rebaixamento, com a Raposa na lanterna com apenas dois pontos.

No domingo, São José e Cordino ficaram no empate em 1 a 1. O Peixe Pedra segue no G-4 com oito pontos, enquanto a Onça caiu para a sexta colocação com seis pontos.

No clássico da rodada, o Maranhão venceu o Sampaio com um gol contra de Odair Lucas. Por causa do equilíbrio do torneio, o Tricolor, que acumulou sua segunda derrota seguida e começou a rodada na liderança, caiu para a quinta colocação com sete pontos. O MAC que estava em sexto conseguiu se recuperar e volta ao G-4, agora oito pontos.

As equipes que atingirem os 12 pontos garantem a classificação para as semifinais do Estadual. Apenas Imperatriz e Moto podem conseguir a vaga antecipada na penúltima rodada e precisam vencer seus jogos, respectivamente, contra MAC e Santa Quitéria, para alcançarem o objetivo.

Moto 4×1 São José: virada e liderança Rubro-Negra

Lucas Almeida / L17 Comunicação

Uma virada com vitória por 4 a 1 para deixar o Moto na liderança do Campeonato Maranhense. O placar pode até sugerir alguma facilidade, mas o triunfo do Rubro-Negro só foi consolidado nos minutos finais, quando a equipe comandada por Marcinho contava com um jogador a mais e explorou a velocidade para garantir mais três pontos no Estadual.

O início do jogo foi do Moto, que viu Laerte e o travessão impedirem as melhores chances do Rubro-Negro. São José em sua primeira chegada, contou com Matheus Moura criando a jogada para Jadão abrir o placar para o Peixe.

As melhores jogadas do Moto eram pela dire ita geralmente com a parceria Everlan-Diego Renan. Jadão com boas interceptações impedia a chegada do Moto ao ataque. Quando o Rubro-Negro conseguia chegar encontrou um Laerte inspirado que fechou o primeiro tempo com cinco defesas difíceis.

Jefferson centralizado com Jadão abriu espaços para o Moto forçar o jogo pela direita

No segundo tempo, bastaram 15 segundos para André Mensalão empatar o jogo no Castelão. O lado direito seguiu como o principal foco dos ataques do Moto, principalmente após a entrada de Shailison.

Mais uma vez os espaços sobraram na área do São José, quando Bruno Menezes recebeu e virou o jogo. O São José ainda perdeu Jerfferson expulso e com mais espaço no ataque Marcinho apostou na velocidade com Azul Shailason, o que foi o caminho para consolidar a virada do Rubro-Negro, que ainda contou com Jaílson e Rafael Santos marcando mais dois gols no Castelão.

Rodada dos empates no Campeonato Maranhense

A rodada de abertura do Campeonato Maranhense (que ainda está pendente do confronto Sampaio x Bacabal) foi marcada pelos empates. Nos três jogos do torneio, todos terminaram com os placares igualados e um total de 10 gols anotados.

No primeiro jogo do Estadual, Jefferson Araújo e André Penalva, cada um com dois gols, definiram o empate em 2 a 2 entre Moto e Imperatriz. Um dado curioso é que no primeiro tempo, nos três chutes que foram na direção do gol, foram convertidos em gols.

No domingo, o MAC até começou bem contra o São José, com Cris e Válber abrindo o placar. O problema foi o péssimo jogo do goleiro Fábio, que cometeu um pênalti e ainda foi expulso após uma falta desnecessária fora da área. Tim Marco descontou para o Peixe Pedra e Diogo garantiu o empate para o Peixe Pedra no minuto final.

No outro jogo do fim de semana, Ulisses começou o Maranhense marcando o primeiro gol do Cordino. Assim como em São José de Ribamar, o Santa Quitéria empatou a partida aos 45 do segundo tempo com Clessione.

Jefferson (Moto) e André Penalva (Imperatriz) ficam como os artilheiros do torneio na rodada de abertura. Sampaio x Bacabal fecham os quatro primeiros jogos na terça-feira, às 20h30.

As novidades do Campeonato Maranhense de 2018

Nova fórmula, “fair play financeiro” e limite de inscrições. Essas são as principais novidades do Campeonato Maranhense de 2018. A fórmula, com turno único e sete jogos para cada time na fase de grupos, utilizará apenas 11 das 13 datas disponíveis para a Federação Maranhense realizar o Estadual. Serão três meses e definição rápida dos representantes maranhenses na Copa do Brasil e Copa do Nordeste de 2019 e do primeiro classificado para a Série D, já que o segundo será definido, inicialmente, em um seletivo entre outubro e dezembro.

Outra novidade para 2018 é a implementação do limite de inscrição para as equipes, equivalente ao modelo que foi adotado na Série C. Cada time poderá inscrever apenas 35 jogadores, sendo permitida a troca apenas de um goleiro. A principal inovação é o “fair play financeiro” dentro dos moldes que a CBF já trabalha no Campeonato Brasileiro, mas com os clubes sujeitos apenas a multa em caso de atraso de salários dos atletas.

Aqui vale ponderar que, se o clube atrasa o pagamento dos salários, dificilmente ele irá cumprir com o pagamento da multa. O ideal seria a punição esportiva, que chegou a ser colocada em votação, mas curiosamente, foi rejeitada pelos próprios clubes.

Para fechar, o Maranhão voltará a contar com um torneio no segundo semestre, que servirá como seletivo para a Série D. A competição não contará com o Sampaio e com a equipe classificada para a Série D pelo Estadual, além do rebaixado. O campeão da Segundinha, que será disputada em julho e agosto, se juntará aos outros cinco times, para buscar a segunda vaga maranhense na Série D de 2019.

É curioso que os clubes, no período da Copa União e Taça Cidade, sempre reclamaram da dificuldade financeira com um torneio similar ao Estadual no segundo semestre. Agora, os mesmos clubes, aprovam um torneio, que será opcional, nos mesmos moldes para o fim do ano. Será surpreendente se de fato a bola rolar e a competição acontecer normalmente, sem que ocorram murmúrios de algum time sobre a situação financeira. Neste caso, justiça seja feita, o MAC foi o único a votar contra a proposta.

Todas as decisões foram aprovadas pelos clubes em uma reunião que contou com a leitura e explicação de cada item do regulamento. Logo, os clubes, assim como a FMF, são responsáveis por todo o Campeonato Maranhense de 2018. Que a próxima temporada realmente tenha mais bola rolando e menos papel nos tribunais.