Tag: Sampaio Corrêa

Sampaio 1×3 Goiás: Tricolor perde o meio-campo e sofre virada no Castelão

Lucas Almeida / L17 Comunicação

Um primeiro tempo exemplar e um segundo tempo onde foi engolido pelo Goiás, principalmente no meio-campo. O Sampaio saiu na frente com Sobral, mas a virada veio de forma massacrante com Lucão, Alex Silva e Michael para o Esmeraldino.

O Sampaio chega ao sexto jogo sem vencer e segue na zona de rebaixamento, agora na 17a colocação. Diante do São Bento e do Boa Esporte, mesmo fora de casa, o Tricolor maranhense precisará buscar, pelo menos, quatro pontos. Um desafio gigante para um time que conseguiu pontuar em apenas dois dos sete jogos longe de casa na Série B.

Com Sobral e Reginaldo abertos, o Sampaio apostou em um 4-4-2 onde Danielzinho atuava mais centralizado próximo de Uilliam no ataque. A estratégia deu certo quando o cruzamento de Reginaldo achou Sobral para abrir o placar.

O Goiás, a priori tentou chegar com Gedoz pela direita, mas sem tanta efetividade. Quando Michael passou a atacar pelo setor, foi o momento que o time Esmeraldino levou mais perigo, mas sem capacidade para buscar o empate na etapa inicial.

No segundo tempo o meio-campo do Sampaio foi engolido pelo Goiás. Gedoz criou as duas jogadas, que originaram os gols de Lucão e Alex Silva, virando o placar para o Esmeraldino. Fonseca ainda enfraqueceu o meio Tricolor com a saída de Silva para a entrada de Carlão, em uma última tentativa de sobrecarregar no ataque e chegar ao empate. O efeito foi contrário e um último contra-ataque do Goiás, resultou no gol de Michael para selar o triunfo goiano no Castelão.

Sampaio 0x0 Juventude: Tricolor completa quinto jogo consecutivo sem vencer

Lucas Almeida / L17 Comunicação

Um jogo ruim das duas equipes e praticamente sem oportunidades claras no segundo tempo. No fim das contas, o empate zerado foi o placar mais justo no Castelão, mantendo o Sampaio na zona de rebaixamento da Série B e ampliando a série para cinco jogos sem vencer da equipe maranhense.

Das 10 finalizações do Sampaio no primeiro tempo, as cinco que foram na direção do gol terminaram com defesas tranquilas de Matheus. A dupla defensiva do Juventude foi o destaque da primeira etapa, sendo fundamental para os desarmes no campo defensivo.

O lado esquerdo com Alyson seguiu como o setor mais vulneravel do Sampaio, especialmente por causa da movimentação de Felipe Mationni. Os visitantes chegaram somente duas vezes e pararam no goleiro Andrey.

O segundo tempo foi praticamente sem chances para os dois lados. O Sampaio voltou a abusar de cruzamentos, sem sucesso. A expulsão de Esquerdinha, muito questionável, praticamente selou o empate sem gols depois de um Tricolor inoperante no ataque e com o Juventude aceitando o empate sem gols no Castelão.

CSA 1×0 Sampaio: Tricolor chega ao quarto jogo sem vitória na Série B

O gol de Walter no primeiro tempo selou a derrota por 1 a 0 do Sampaio diante do CSA. É o quarto jogo consecutivo sem vitória do Tricolor na Série B, que somou apenas um ponto nos últimos 12 disputados e entra na zona de rebaixamento pela primeira vez após Roberto Fonseca assumir o comando da equipe.

O CSA forçou todo o primeiro tempo pela direita, com Celsinho e Niltinho. Daniel Costa, centralizado, em alguns momentos dava o suporte ofensivo no setor. Com Alyson em baixa, Dalberto e Sobral auxiliando pouco na marcação, João Paulo passou a jogar na esquerda no intuito de tentar controlar o ataque alagoano.

O ajuste não deu certo. Celsinho e Niltinho continuaram com espaço de sobra. O gol alagoano veio com uma falta de Celsinho em cima de Maracás, mas a zaga Tricolor errou ao parar no lance sem o apito e Walter abriu o placar.

Fonseca tentou mudar o cenário para o Sampaio no segundo tempo com a entrada de Rato. Não deu certo. Pelo CSA, Niltinho passou a jogar mais centralizado e aproveitou os espaços em frente à zaga boliviana, com a frágil marcação de Silva e Danilo Pires. Foram três oportunidades para o camisa 7, que parou em um impedimento e uma boa defesa do goleiro Andrey.

Com a derrota, o Sampaio precisa do triunfo diante do Juventude para sair da zona de rebaixamento. Será o jogo para igualar o número de partidas em relação aos outros times na Série B e para tentar reencontrar o caminho das vitórias após quatro jogos.

Com título do Nordestão e transferências, Sampaio acumula R$ 16 milhões em 2018

BAHIA X SAMPAIO CORREA – FINAL DO NORDESTÃO NA ARENA FONTE NOVA
Foto: Margarida Neide / Ag. A Tarde
Data: 07/07/2018

O inédito título da Copa do Nordeste, seguido pela venda do volante Jonas do Flamengo para o Al-Ittihad impulsionaram o caixa Tricolor em 2018. A arrecadação, com cotas, patrocínios, premiações e transferências chega aos R$ 16,25 milhões. Marca histórica para o Sampaio

Somente na Copa do Nordeste, o Sampaio arrecadou R$ 3,35 milhões, considerando as premiações de cada fase até à conquista do título. Esse valor se junta aos R$ 2,5mi faturados com a classificação até à terceira fase da Copa do Brasil, os R$ 150 mil pela participação no Campeonato Maranhense e aos R$ 6 milhões das cotas de TV da Série B.

O patrocínio da Caixa representa o acréscimo de R$ 1,5 mi. As transferências foram impulsionadas pela recente venda do volante Jonas, do Flamengo para o Al-Ittihad por R$ 9mi. Como o Tricolor maranhense negociou o jogador com direito à 15% de uma transferência futura, receberá R$ 1,3 mi referente ao negócio. Além disso, o meia Marlon foi negociado por R$ 200 mil com o Fortaleza no início da Série B.

A arrecadação de R$ 16,25mi é a maior da história do Sampaio em uma temporada. Vale lembrar que a arrecadação não inclui o balanço das bilheterias e patrocínios com valores não divulgados pelo clube.

Bahia 0x0 Sampaio: consistência defensiva garante título inédito do Nordestão ao Sampaio

Lucas Almeida / L17 Comunicação

Vitória por 1 a 0 na ida e empate sem gols na volta foram suficientes para o Sampaio garantir o título inédito da Copa do Nordeste. Uma campanha que foi marcada, principalmente pelo triunfo por 3 a 0 diante do Vitória nas quartas de final, a consistência defensiva do time maranhense foi crucial para garantir um lugar na história do Nordestão.

O Tricolor volta a conquistar um título regional após 20 anos, quando foi campeão da Copa Norte em 1998. No Nordestão, em sua quarta participação, o Tricolor, além de fazer a melhor campanha de toda sua história, surpreendeu após chegar pela primeira vez na segunda fase e derrubar cada adversário a partir dali.

A bola parada e a consistência defensiva foram cruciais nos dois jogos da final. Na ida, foi com um escanteio logo aos dois minutos que saiu o único gol do jogo. Na partida de volta, além da segurança da dupla de zagueiros, Andrey fez um grande jogo, sendo fundamental para garantir o empate sem gols.

Na fase decisiva da Copa do Nordeste, dos seis gols marcados pelo Sampaio, cinco gols foram originados em lances de bola parada. No jogo deste domingo contra o Bahia, a segurança de William Oliveira na frente da zaga e o apoio defensivo de João Paulo na direita, para bloquear os avanços de Élber pelo setor, foi fundamental.

O Bahia, apesar de ter um time mais ofensivo, com Élber, Regis, Zé Rafael e Edigar Junio, parou na defesa boliviana e na falta de criatividade baiana. As jogadas eram exclusivamente pela lateral do campo, em busca de cruzamentos, ou na tentativa da bola parada, dependendo de Régis, que só conseguiu assustar Andrey em uma oportunidade.

Sampaio 1×0 Bahia: Tricolor controla e abre vantagem no Nordestão

Um gol de Uilliam logo no minuto inicial e um triunfo simples por 1 a 0, com uma grande vantagem para o Sampaio na final da Copa do Nordeste. Diante do Bahia, o Tricolor maranhense está a um empate do inédito título da Copa do Nordeste.

O gol de Uilliam nasceu de uma estratégia do Sampaio desde o primeiro minuto. A pressão na saída de bola do Bahia resultou no escanteio, que originou o gol do time maranhense.

O Sampaio ditou o ritmo do primeiro tempo, adotando a pressão na saída de bola do Bahia, com Uilliam, João Paulo e Danielzinho, durante os 15 minutos iniciais. Penso, o time baiano conseguiu chegar somente quando Nino Paraíba avançou pela direita. Foi o momento de maior pressão do Bahia, que teve Régis parando em um desvio de Joécio.

No segundo tempo, a entrada de Élber aumentou a agressividade do Bahia na direita. Nas primeiras duas jogadas do ponta-direito, duas oportunidades criadas para o Bahia, com destaque para a boa interceptação de William Oliveira em cima de Régis.

O Sampaio controlou a vantagem. Os cinco minutos finais foi com o tradicional ataque x defesa. Maracás, Joécio e, principalmente, Andrey, foram fundamentais para garantir o triunfo Tricolor no jogo de ida da decisão da Copa do Nordeste.

Londrina 1×1 Sampaio: Tricolor conquista ponto importante fora de casa

Gustavo Oliveira/LEC

Depois de um primeiro tempo ruim, o Sampaio conseguiu arrancar um empate diante do Londrina na noite deste domingo, no Estádio do Café. O resultado mantém o Tricolor na 15ª colocação, agora com 15 pontos, enquanto os paranaenses seguem em 13º com 16 pontos.

O Londrina foi melhor no primeiro tempo. Os avanços, alternados, de Felipe Marques e Safira pela esquerda eram as melhores jogadas dos donos da casa. Com João Paulo controlando o meio-campo, a equipe paranaense tentou duas bolas enfiadas para Felipe Marques, que impedido não teve como dar conclusão à jogada.

O Tricolor teve um raro momento de controle no primeiro tempo, com João Paulo pela direita. Thiago Ribeiro, com três oportunidades, por pouco não abriu o placar, na primeira mandou por cima do gol, na segunda acertou a trave e na terceira teve um gol erroneamente anulado, por causa de impedimento.

O Sampaio ainda conseguiu sair na frente, com um gol de Carlão, no início do segundo tempo. O empate do Londrina veio após uma cobrança de escanteio, que contou com a saída errada de Andrey e Safira cabeceou para deixar tudo igual no Estádio do Café.

Nos minutos finais, o Sampaio melhorou com a chegada pelas duas pontas, com Fumaça na esquerda e Dalberto pela direita. A pressão não resultou em gols e o empate foi confirmado no Estádio do Café.

ABC 1×1 Sampaio: Tricolor sela vaga inédita na final da Copa do Nordeste

Um jogo de poucas chances, com direito a confusão após o gol do Sampaio e um empate para selar o Tricolor na decisão da Copa do Nordeste. Sobral abriu o placar para o Tricolor, enquanto Erivelton empatou o jogo para os donos da casa após os 20 minutos de paralisação por causa dos objetos arremessados pela torcida do ABC no Frasqueirão.

A classificação inédita do Sampaio foi garantida principalmente pelo triunfo em São Luís. No jogo de volta um primeiro tempo pobre, com destaque para a movimentação de Danielzinho, escalado pela direita e buscando o jogo pelo meio, conseguindo criar a melhor oportunidade do Tricolor.

O ABC, tentando evitar os gols do Sampaio, pecava pelo excesso de força e faltas. O lado direito, com a Arez e Matheus Carvalho, era o mais ofensivo. Carvalho foi o responsável pela melhor finalização potiguar na primeira etapa.

O segundo tempo caiu drasticamente de ritmo. O Sampaio adotou uma postura mais estruturada, sem avançar e administrando o placar, já que o ABC sequer levava perigo. O pênalti sofrido por Uilliam e convertido por Sobral desencadeou uma selvageria da torcida do ABC, que paralisou o jogo por 20 minutos no Frasqueirão. Após o reinício, os donos da casa ainda empataram com Erivélton.

Além da selvageria da torcida do ABC, o outro ponto negativo foram as expulsões de Rato e Maxwell após uma confusão entre os jogadores. O empate permaneceu no placar e garantiu o Tricolor maranhense com a vaga inédita na final da Copa do Nordeste.

Enquanto o Sampaio comemora a vaga na decisão da Copa do Nordeste, o ABC terá que se preocupar com o provável gancho que pegará por conta do vandalismo da torcida, que arremessou gelo e tudo que teve direito em campo após o gol do time maranhense.

Sampaio 2×3 Atlético-GO: apagão, tentativa de reação e derrota Tricolor

O apagão nos 10 minutos iniciais e a falha nas conclusões das jogadas no segundo tempo impediram uma vitória do Sampaio na noite deste sábado, no Castelão. Depois de ver o Atlético-GO abrir 2 a 0, de forma relâmpago, o Tricolor conseguiu buscar o empate e ficou perto de conseguir a virada, mas viu o Dragão garantir o triunfo por 3 a 2, com gol aos 41 do segundo tempo.

É a primeira derrota do técnico Roberto Fonseca no Castelão, que acumulava quatro vitórias e um empate em casa. Diante do Atlético-GO, o Tricolor sofre a terceira derrota seguida nos confrontos diretos e volta a ver a zona de rebaixamento se aproximar na Série B.

Os dois gols do Atlético-GO surgiram em erros da defesa do Sampaio. João Paulo puxou o contra-ataque e a defesa do Sampaio afastou, mas ninguém impediu Pedro Bambu de aproveitar e abrir o placar. No segundo, a defesa do Tricolor travou no avanço de Julio César, que invadiu a área e ampliou para os visitantes.

O Sampaio descontou após João Paulo sofrer pênalti, em uma saída errada do goleiro Jefferson. Jheimy cobrou e fez. A partir dos 15 minutos, enfim, o que rolava em ritmo de pelada, virou futebol, o Sampaio melhor em campo.

João Paulo, Jheimy e Dalberto formavam um trio ofensivo do Sampaio. O Atlético-GO com a linha de defesa estreita, permitia os espaços para João Paulo, quando tentava pressionar quem tinha a posse de bola no ataque do time maranhense.

Se João Paulo era o responsável pelas melhores chances do Tricolor, Julio Cesar infernizava a defesa maranhense, que ficou em pane no primeiro tempo. O empate veio na bola parada, um dos pontos fortes do Sampaio. João Paulo cobrou o escanteio perfeito e Maracás igualou o jogo.

O Sampaio controlou mais o jogo. Principalmente com Danielzinho e Sobral por dentro para ajudar o meio-campo. O volume de jogo não se converteu em gols e para piorar, em uma das raras chegadas do Atlético-GO no ataque, Renato Kayser fez o gol e garantiu o triunfo do Dragão em São Luís.

Sampaio 1×0 ABC: pressão funciona no segundo tempo e Uilliam garante vitória Tricolor

Em um jogo de muita marcação, um erro da defesa do ABC foi crucial para o triunfo do Sampaio. Após a pressão, o pênalti sofrido e convertido por Uilliam, o Tricolor garantiu a vantagem mínima, com a vitória por 1 a 0, para a partida de volta da semifinal da Copa do Nordeste.

Com a entrada de Fumaça no lugar do Bruninho, Danielzinho seguiu pela meia-direita, apoiando o ataque no setor. Para segurar o 4-1-4-1 do Sampaio, Ranielle Ribeiro apostou em um 4-5-1 no ABC, com destaque para o trio central com Marcos Junior, Anderson Pedra e Felipe Guedes, sempre acompanhando a circulação da bola e posicionada de forma a interceptar os passes do time maranhense.

Para quebrar a marcação, o Sampaio primeiro tentou trabalhar as inversões, com Danielzinho achando Alyson. Ainda no primeiro tempo, em uma dos raros momentos de pressão da defesa do ABC, Sobral teria campo livre para avançar, mas sofreu falta. O primeiro tempo foi da defesa potiguar, que soube neutralizar o ataque do time maranhense.

Na etapa final uma mudança importante realizada por Roberto Fonseca foi pressionar a saída de bola dos zagueiros do ABC. Essa alteração na postura do time maranhense foi crucial para o pênalti sofrido por Uilliam. O atacante pressionou Samuel, que errou o passe, e na sequência foi derrubado por Tonhão. Na cobrança, o gol do Tricolor maranhense.

Com o natural desgaste do ABC e a entrada de João Paulo pela esquerda, o Sampaio conseguiu encontrar mais oportunidades. Não ampliou o placar por causa das finalizações erradas de Alyson e Danielzinho, mas o mais importante, além do triunfo, foi sair do Casteção sem sofrer gols e garantindo a vantagem de jogar pelo empate no jogo de volta.