Tag: Brasil

Brasil 2×0 México: triunfo mental e com Neymar centralizado

FIFA/FIFA via Getty Images

Um gol, uma assistência e mais um grande jogo de Neymar. Em crescimento no mata-mata, o camisa 10 dividiu com Thiago Silva o posto de melhor em campo no triunfo diante do mexicanos para conduzir o Brasil às quartas de final.

Em um jogo que o México começou com marcação alta, como prometido por Osório, com destaque para Rafa Marquez atuando como volante, com o apoio de Guardado e Herrera nas transições. Destes, Guardado era quem mais se aproximava da linha ofensiva com Lozano, Hernandez e Vela.

Vela foi o jogador mais ativo do ataque mexicano e, com o apoio de Lozano, tinha como principal missão dar amplitude ao campo de jogo, enquanto a linha defensiva brasileira jogava mais estreita. O Brasil segurou a pressão mexicana, principalmente graças ao bom jogo de Thiago Silva.

Layun foi efetivo na marcação de Neymar no primeiro tempo e o camisa 10 saiu em situação de mano a mano somente em um momento, quando Ochoa apareceu com uma boa defesa. Após o 0 a 0 do primeiro tempo, Layun teve uma atuação mais agressiva com Neymar.

Na etapa final, a grande novidade do Brasil foi Neymar mais centralizado, liberando o corredor esquerdo para Coutinho, formando um 4-4-2. Foi graças a isso, que o chute errado de William acabou virando uma assistência para Neymar abrir o placar.

Na segunda vez que Neymar ficou livre de Layun, teve espaço para arrancar e achar Firmino, que decretou a vitória. Defensivamente, Thiago Silva fechou o jogo com oito interceptações e três chutes bloqueados, com mais uma grande atuação defensiva na Copa.

Neymar, diferente dos dois primeiros jogos, conseguiu evitar as reclamações após as faltas consecutivas de Layun. Força mental. Assim como foi no Rio 2016, o camisa 10 cresce no momento decisivo e faz mais um grande jogo na Copa do Mundo. Pode ser a chava para o Brasil voltar ao lugar mais alto da competição.

Brasil 2×0 Costa Rica: triunfo difícil e classificação encaminhada

FIFA/FIFA via Getty Images

Os dois gols nos acréscimos mostram o tamanho da dificuldade que o Brasil encontrou para conseguir o triunfo diante da Costa Rica. Com Neymar ainda fora da forma ideal, a Seleção penou para superar o muro costa-riquenho e quando conseguiu parou nas defesas de Navas.

No primeiro tempo, com Coutinho anulado pela marcação da Costa Rica, o lado esquerdo tentava nas jogadas individuais de Neymar para chegar ao ataque. Assim como a maioria das seleções menores na Copa do Mundo, os costa-riquenhos empurraram o ataque brasileiro sempre para as laterais e deixavam a frente da área congestionada, impedindo a infiltração brasileira.

Tite ainda tentou usar William para buscar o jogo por dentro, mas a escolha não teve efeito no primeiro tempo. Motivo para a entrada de Douglas Costa, que melhorou o setor na etapa final. Neymar passou a buscar o jogo mais centralizado e invadindo a área, deixando Coutinho com liberdade para buscar o jogo fora da área na lateral esquerda e por dentro.

Se no primeiro tempo o Brasil conseguiu finalizar apenas uma vez na direção do gol, na etapa final foram nove chutes. Aumento explicado pela entrada de Firmino para formar a dupla com Gabriel Jesus na frente e a presença de Neymar na área. O travessão e as sete defesas de Navas paravam o ataque brasileiro.

Nos acréscimos, Coutinho, depois de um belo pivô de Gabriel Jesus, e Neymar, após a assistência de Douglas Costa, encontraram os gols da vitória. No duelo contra a Croácia, um empate garante o Brasil nas oitavas, mas Tite precisa encontrar alternativas, principalmente quando Paulinho e Casemiro sofrem com baixo rendimento no meio-campo.

Brasil 1×1 Suíça: ataque para na defesa suíça e Seleção estreia com empate

FIFA/FIFA via Getty Images

Em um jogo com o ataque atuando mal e um erro da defesa, o Brasil ficou apenas no empate em 1 a 1 com a Suiça. A partida foi marcada por decisões questionáveis da arbitragem, mas não anula o rendimento abaixo do esperado da Seleção Brasileira.

Benhrami foi o responsável por ajudar Lichtsteiner na marcação pela esquerda, onde conseguiu anular Marcelo e Neymar. A estratégia suiça só não deu certo quando a bola encontrou Coutinho, que teve liberdade para executar o seu melhor chute de direita e abrir o placar.

O resto de todo o primeiro tempo foi de um Brasil bem abaixo, apesar das tentativas de infiltração de Paulinho. Pela esquerda, mesmo sem Ricardo Rodriguez ser um exímio marcador, William não encontrou espaços.

Logo no início do segundo tempo, Zuber subiu sozinho e empatou o jogo. A entrada de Firmino, faltando aos 35, até melhorou o setor ofensivo. Em apenas 10 minutos o atacante finalizou duas vezes, enquanto Gabriel Jesus, que começou como titular, conseguiu apenas uma finalização durante a partida, apesar de ter um passe para finalização, que não acabou em gol.

Firmino pede passagem para o time titular. Vive melhor momento que Jesus. Na próxima rodada, contra a Costa Rica, o Brasil precisa da vitória para poder avançar como líder do grupo E, que conta com a Sérvia na liderança no momento.