Eloir é o destaque no primeiro pacote de reforços do Imperatriz

O goleiro Gustavo, o lateral-direito Michel, os meias Cloves e Eloir e o atacante Diego Silva são os primeiros cinco reforços do Imperatriz para a Série D. Do quinteto, Eloir surge com sobras como o destaque da equipe para a Série D e provavelmente chegará para ser um dos titulares, enquanto os demais devem disputar posição com os atuais titulares.

Aos 30 anos, Eloir chega depois de recuperar seu condicionamento no MAC durante o Estadual de 2018. Na temporada, foram nove jogos, um gol e duas assistências. Em 2017, quando retornou aos gramados após uma “aposentadoria” de dois anos, o meia foi prejudicado por lesões e a falta de ritmo, mas ainda assim conseguiu disputar 18 jogos, com um gol marcado, e ajudar o Quadricolor à chegar até as quartas de final da Série D.

Considerando a forma como o Imperatriz jogou durante o Campeonato Maranhense, Eloir deve ser aproveitado mais avançado, como um camisa 10 na equipe comandada por Vinícius Saldanha. No meio-campo, outra opção que chega ao Cavalo de Aço é Cloves, que disputou nove jogos pelo Rio Preto na Série A3 e voltará a trabalhar com o técnico Vinícius Saldanha.

Dentre os jogadores que podem ganhar a titularidade, está o lateral-direito Michel, que defendeu o Cordino no Campeonato Maranhense. Em 2018, o jogador vive uma temporada abaixo das anteriores, quando se destacou pela Onça principalmente na bola parada. Na temporada, marcou apenas um gol em oito jogos.

No ataque, Diego Silva chega para ser opção para a vaga de Adauto e disputar posição com Thaynan. Em seis jogos no Maranhense, defendendo o São José, marcou um gol. Gustavo, reserva do MAC, vira a opção imediata quando Jean, titular do gol do Cavalo de Aço, não puder jogar.

Posts relacionados

Sampaio tem o segundo elenco mais jovem da Série B

Uma das marcas do técnico Francisco Diá desde sua chegada ao Sampaio é a aposta em contratação de jovens jogadores. O acesso para a Série B não mudou o perfil de atletas que o treinador busca e isso é refletido ao constatar que o Tricolor maranhense tem o segundo elenco mais jovem da Série B, de acordo com o site oGol.

A média de idade do elenco Tricolor é de apenas 24,50 anos, ficando a frente apenas da Ponte Preta, com média de 23,06. O time com a maior média de idade do torneio é o CRB, com 27,91. No geral, nove equipes apresentam elencos com média inferior aos 25 anos: Ponte Preta, Sampaio, Goiás, Atlético-GO, Coritiba, Avaí, Londrina, Oeste e Boa Esporte.

No perfil de reforços adotados por Diá, desde sua chegada ao Sampaio, apenas o zagueiro Fredson (32 anos) e o atacante Isac (31 anos) chegaram acima dos 30 anos. O atacante Isac logo após a Série C deixou o clube e acertou com o Remo, enquanto Fredson é titular da zaga ao lado de Maracás.

Dentre os jogadores contratados para a Série B, o volante Diego Silva, que retorna após quatro meses no Atlético-GO, é o atleta mais velho, com 28 anos. A média de idade das equipes mostra também, que mesmo com a presença de medalhões na Série B, há espaço para jovens jogadores, que devem ser utilizados naturalmente ao longo da temporada.

Em relação a valor de mercado, o elenco do Sampaio é avaliado em apenas 2,05 mi pelo site Transfermarkt. O jogador mais valioso do Tricolor é o volante William Oliveira, avaliado em € 550 mil, enquanto o goleiro Warleson, emprestado pelo Atlético-PR, é o menos valioso, avaliado em € 50 mil.

Média de idade dos elencos da Série B
Ponte Preta 23,06
Sampaio 24,50
Goiás 24,52
Atlético-GO 24,57
Coritiba 24,56
Avaí 24,75
Londrina 24,77
Oeste 24,96
Boa 24,98
Criciúma 25,22
Vila Nova 25,27
Paysandu 25,35
Guarani 25,54
Fortaleza 25,57
Juventude 25,76
Figueirense 25,92
Brasil de Pelotas 26,42
CSA 26,93
São Bento 27,41
CRB 27,91

Posts relacionados

Achado do São José e zagueiro-artilheiro reforçam o Moto

Depois do risco de debandada do elenco campeão maranhense, o Moto começa a mostrar as novas caras para a disputa da Série D. No primeiro pacote de reforços, o meia Diego Batata aparece como o principal destaque, seguido pelo zagueiro Ramon e o atacante Naoh, que retornará ao Rubro-Negro.

Aos 28 anos, Diego Batata chega ao Moto para disputar a Série D pela primeira vez em sua carreira. O meia foi um achado do técnico Luis Miguel, após defender o Urso, no Mato Grosso do Sul. Pelo Peixe Pedra, Batata foi a referência na bola parada, forma como deu duas assistências durante o Campeonato Maranhense e marcou um gol. No geral, o meia fechou o Estadual com seis jogos, dois gols e três assistências. Chega para ser uma boa opção no elenco.

Na zaga, Ramon retorna ao futebol maranhense após quatro meses no Sertãozinho, onde fez apenas quatro jogos. O zagueiro tem na impulsão sua principal qualidade, tanto que foi assim que marcou três gols em 17 jogos em 2017, quando defendeu o São José e o MAC. Com Wanderson em baixa, tem condições de assumir uma vaga no time titular para a Série D.

Fechando a primeira leva de reforços está o atacante Naoh, que retorna  após três anos ao Rubro-Negro. Com a possibilidade de jogar nas pontas e como centroavante, o jogador de 31 anos deve ser uma das opções no ataque e precisa melhorar a sua média de gols. Em 2018, no Vitória da Conquista foram apenas dois gols em 10 jogos e no MAC, em 2017, foram seis gols em 21 jogos.

Posts relacionados

Alvinho chega ao Sampaio no melhor ano de sua carreira

Aos 25 anos, Alvinho chega ao Sampaio com a missão de ser a referência do ataque Tricolor. Artilheiro do São Bernardo na Série A2, com nove gols em 15 jogos, o atacante vive a melhor fase de sua carreira e voltará a disputar a Série B após quatro anos.

Além da tendência de ser utilizado como atacante de referência, Alvinho costuma jogar pelas pontas, função que executava quando surgiu no futebol. Nesse caso, o atacante atua principalmente pelo lado esquerdo, sempre preferindo a infiltração na área do que avançar até a linha de fundo para tentar cruzamentos.

Antes de defender o São Bernardo, a melhor temporada de Alvinho foi em 2017, com quatro gols marcados, em nove jogos pelo Gama e sete pelo São Bernardo. Em 2018, na Série A2, com o atacante atuando mais centralizado, conseguiu superar o dobro de gols do ano anterior em apenas três meses.

No Sampaio, Alvinho precisará confirmar que a temporada goleadora não é apenas um acaso em sua carreira. A concorrência pela vaga será com Uilliam, que conta com 10 gols em 16 jogos no ano.

Posts relacionados

Moto terá cota milionária e Sampaio com valores menores na Copa do Nordeste de 2019

O acréscimo de R$ 4 milhões na distribuição total de cotas da Copa do Nordeste, proporcionou uma cota de R$ 1,2 milhão ao Moto e, inicialmente, R$ 100 mil, para o Sampaio por 2019. O Rubro-Negro entra no grupo 3 das cotas, enquanto o Tricolor, receberá mais R$ 510 mil, caso avance para a fase de grupos.

Para definir os valores das cotas, os clubes classificados para a fase de grupos, são divididos em três subgrupos com quatro equipes, obedecendo o Ranking Nacional de Clubes. O grupo quatro é destinado para os times que avançarem após a pré-Copa do Nordeste, situação do Sampaio.

Com a possibilidade de arrecadar apenas R$ 610 mil, o Sampaio, caso avance pelo River-PI, o Tricolor receberá R$ 240 mil a menos do que obteve em 2018, somente pela participação na fase de grupos. Consequência da eliminação na fase de classificação do Campeonato Maranhense.

Além do aumento das cotas, foi definido a mudança no formato do torneio. A Copa do Nordeste deixará de contar com quatro grupos e terá duas chaves, cada uma com oito equipes. Os times do grupo A enfrentam as equipes do grupo B, provavelmente, somente com jogos de ida. Com o formato, a fase de classificação ganha mais duas datas e os quatro melhores de cada chave avançam para as quartas de final.

As premiações e cotas da Copa do Nordeste

Pré-Nordestão – R$ 100 mil

Fase de grupos
Grupo 1 – R$ 1,9 milhão (Vitória, Bahia, Santa Cruz e Ceará)
Grupo 2 – R$ 1,4 milhão (ABC, Náutico, Fortaleza e Botafogo-PB)
Grupo 3 – R$ 1,2 milhão (CSA, Moto Club, Sergipe I* e Piauí I*)
Grupo 4 – R$ 510 mil (os quatro classificados na seletiva)
*Estaduais em andamento

Quartas de final – R$ 300 mill
Semifinal – R$ 375 mil
Vice – R$ 500 mil
Campeão – R$ 1 milhão

 

Posts relacionados

Moto perde trio responsável por 45% dos gols no Campeonato Maranhense

Val Barreto, Bruno Menezes e Jailson foram os três primeiros a deixarem o Moto após o Campeonato Maranhense. O trio foi responsável por 10 dos 22 gols do Rubro-Negro, o que ajudou a equipe na conquista do Estadual, além de fechar a competição com o melhor ataque.

Val Barreto, mesmo terminando como artilheiro do Moto na temporada, estreou somente na quarta rodada. O atacante chegou para substituir Jefferson, que foi para o futebol iraniano. Nos dois primeiros jogos passou em branco, mas balançou as redes três vezes contra o Santa Quitéria e posteriormente marcou um gol na semifinal contra o MAC e dois no jogo de ida da decisão diante do Imperatriz.

O volante Bruno Menezes teve uma participação maior no título. Titular desde a primeira rodada, disputou 10 jogos, com 860 minutos acumulados. Responsável pela saída de bola do rubro-negro, com liberdade para apoiar o ataque em algumas ocasiões, o jogador de 22 anos marcou dois gols durante o Campeonato Maranhense.

Jailson, que fecha a lista dos destaques que deixam o time, cresceu na reta final. Apesar de estar no elenco desde a pré-temporada, se firmou somente após a saída do meia André Mensalão, que foi para o Cuiabá. Como foi reserva no início da temporada, apesar de ter disputado 11 jogos, um a mais que Bruno Menezes, acumulou apenas 792 minutos em campo e dois gols marcados.

Dentre os jogadores que permanecem até o momento, a artilharia do time está empatada com Rafael Santos, Everlan, Shailison e Ricardo Maranhão, todos com dois gols marcados. Uma curiosidade, é que dentre os jogadores do elenco rubro-negro, apenas o zagueiro Denilson e o atacante Lucas Bacelar não entraram em campo durante o Campeonato Maranhense.

Imperatriz tem grupo favorável na Série D

Em sua segunda participação na Série D, o Imperatriz entra com boas chances de conseguir a classificação inédita para a segunda fase. O América-RN, vice-campeão potiguar, aparece como o favorito do grupo, mas Belo Jardim e Guarani de Juazeiro chegam em baixa depois de péssimas campanhas nos estaduais.

Até o momento, o elenco que terminou o Campeonato Maranhense não deve sofrer dispensas. Adauto, Kanu e André Penalva, todos com três gols marcados, chegam como os artilheiros do alvirrubro para a Série D.

Além de ser uma grande oportunidade para o Imperatriz, Saldanha também pode garanTir a classificação para a segunda fase pela primeira vez em sua carreira. Será a terceira vez que o treinador disputará a competição, onde acumulou eliminações na fase de grupos em 2013 e 2015, respectivamente, com o MAC e o Cavalo de Aço.

Considerando a fase do Belo Jardim, que sequer venceu em 2018 e foi rebaixado no Campeonato Pernambucano, além do Guarani de Juazeiro, que conta com apenas dois triunfos na temporada, o Imperatriz entra como favorito na disputa por uma das duas vagas na próxima fase. A tendência é que os confrontos contra o América-RN sirvam apenas para definir quem será o líder da chave.

Posts relacionados

O risco de desmanche no Moto

Val Barreto foi o primeiro a sair. O artilheiro do Moto no Campeonato Maranhense deve ser acompanhado por outros campeões estaduais. A dificuldade de manter a base do time, que quase conquistou o título de forma invicta, passa principalmente pelos problemas financeiros do Rubro-Negro, que durante o Estadual teve que contornar atrasos salariais e até despejo do hotel onde os jogadores estavam concentrados.

Val Barreto foi artilheiro com seis gols em oito jogos no Estadual. Logo que chegou em São Luís pediu a rescisão, com propostas de clubes das Séries C e B. Dentre os atletas titulares que tem o maior risco de não seguir no Papão para a Série D estão o zagueiro Betão, o volante Bruno Menezes e os meias Jailson e Everlan.

Destes, o meia Everlan foi uma peça chave na conquista do título, sendo o segundo atleta que mais participou de gols, com três assistências e dois gols. Bruno Menezes, aos 22 anos, dificilmente permanecerá, após ser a revelação do Estadual, enquanto Jailson cresceu na reta final, mas tem contrato com o Rubro-Negro para a Série D.

Diego Renan, Wanderson, Chico Bala Rafael Santos e Ricardo, por serem “jogadores da casa”, devem permanecer. O goleiro Rodrigo Ramos já tem a permanência garantida. Isso significa metade do time titular do Campeonato Maranhense, com o adendo que Chico Bala chegou na reta final da fase de classificação e foi o último reforço do Rubro-Negro em 2018.

Saindo do time titular, vale lembrar a necessidade do Moto justificar apostas em jogadores como Lucas Bacelar e Robinho. Lucas sequer entrou em campo durante o Estadual e Robinho, no único jogo que disputou, foi mal durante os 58 minutos que esteve em campo.

Posts relacionados

O pacotão de reforços do Sampaio para a Série B

João Paulo, Alyson e Claudio Maradona já deram as caras, o volante William estreou diante do CSA e o atacante Magrão, por enquanto está descartado. Além do quarteto, o Sampaio contará com a volta do volante Diego Silva, melhor jogador da equipe em 2017, e a chegada do lateral-direito Marcelo, do Macaé, e dos meias Danielzinho, do Linense, e Bruninho, do XV de Piracicaba, em seu pacotão de reforços para a Série B.

Dos quatro últimos atletas acertados, o lateral Marcelo, de 26 anos, chega, provavelmente para ocupar a vaga como titular. Jogador de suporte ofensivo e defensivo, foi titular no Macaé durante o Campeonato Carioca, com um gol marcado nos 16 jogos disputados.

Passando para o meio-campo, Diego Silva chega praticamente como uma peça de reposição após a saída de Yuri, que foi um dos destaques do time no início de 2018. O retorno do volante, fundamental na campanha do acesso em 2017, é um acréscimo importante para o time do técnico Francisco Diá. Em seu primeiro ano no Sampaio, Diego se notabilizou pelo suporte ofensivo como elemento surpreso e era o responsável pelas segundas bolas no campo adversário. Em sua breve passagem pelo Atlético-GO foram 12 jogos disputados em 2018.

Completando o meio-campo, Danielzinho chega como possível jogador que revezará a função de meia-central no Sampaio com Marlon. Pelo Linense, o jogador de 23 anos chegou a executar esse papel, mas pouco finalizou durante o Paulistão, com apenas dois chutes certos em sete jogos disputados. O atleta tem como referência sua capacidade de organizar o jogo, sendo o destaque do time do interior, com 166 passes (média de 23,7 por jogo). Além de ponta, pode atuar também como meia-central.

Fechando o quarteto dos últimos reforços está Bruninho, de 22 anos. Revelado pelo XV de Piracicaba em 2015, o ponta chega ao Sampaio após viver sua melhor temporada. Em 2017, marcou 11 gols durante a Série A2 e a Copa Paulista, com 41 jogos disputados. Em 2018, foram dois gols em 10 partidas. No total de sua carreira já foram 86 jogos disputados 16 gols marcados, números dentro da média de um ponta.

Bruninho chega ao Sampaio como uma das principais alternativas de drible. Para a função, o Tricolor conta atualmente apenas com Rodrigo Fumaça, que se destaca pela velocidade, e Claudio Maradona, recém-chegado, que devem disputar a posição com o novo atleta.

Posts relacionados

Primeiro título em 11 meses consolida início de Marcinho Guerreiro como técnico

O título do Campeonato Maranhense de 2018 coloca Marcinho Guerreiro ao lado de Ruy Scarpino como ex-jogadores que foram campeões fora e dentro das quatro linhas com o Moto. A dupla foi titular no título estadual de 2004 e comandou a equipe nas duas últimas conquistas, com Ruy em 2016 e Marcinho responsável pela conquista recente. Mais do que isso, o título consagra o início da carreira de treinador do ex-volante.

Após 11 meses depois de estrear como treinador, no triunfo por 3 a 0 diante do MAC no Maranhense de 2017, Marcinho conquista o seu primeiro título profissional. Os números são significantes em menos de um ano na carreira do técnico, com 25 jogos, 11 vitórias, nove empates e cinco derrotas, com um aproveitamento de 56%.

No Moto de 2018, Marcinho mostrou principalmente como montar uma boa organização defensiva e um time extremamente forte no contra-ataque, mesmo sem contar com jogadores tão ágeis. Na decisão contra o Imperatriz, o segundo e o terceiro gol no triunfo por 3 a 0 no jogo de ida, refletem exatamente isso. Recuperação no campo defensivo e em pouco tempo o time chega no ataque, sempre com o finalizador em condição clara de tentar o gol.

Jailson dando apoio defensivo, Menezes avançando e Everlan com liberdade no meio-campo. O Moto de Marcinho no Maranhense de 2018

Um modelo de jogo que deu certo principalmente pelo técnico entender também o fator humano. Com toda a situação precária do Moto, pouco tempo de treino, chegando a ficar quatro dias sem trabalhar antes do clássico contra o MAC e a enfrentar despejos de hotéis, Marcinho fez os atletas assimilarem sua ideia de jogo.

Um coletivo forte, expõe as virtudes individuais. Foi isso que aconteceu no Moto, principalmente com os volantes Rafael Santos, Bruno Menezes, Everlan, Jailson e os atacantes Ricardo e Val Barreto. Rafael Santos e Bruno Menezes, caso houvesse um controle de desarmes no Maranhense, provavelmente seriam os líderes nesse quesito. Everlan foi o segundo jogador do Moto que mais participou de gols, com dois tentos e três assistências, enquanto Val Barreto foi o artilheiro do time com seis gols. Números que refletem a importância dos meias no apoio aos contra-ataques.

Agora, Marcinho terá um novo desafio que será consolidar o bom início de sua carreira com a disputa da Série D. Campeão, com menos de um ano como treinador, é um grande feito para Marcinho. Se seguir mostrando a evolução, como foi de 2017 para 2018, e a busca por novos métodos, aliado com o seu conhecimento de campo como jogador e o entendimento do fator humano, o ex-volante terá um caminho de sucesso como treinador.

Posts relacionados