Sampaio sob pressão

Lucas Almeida / L17 Comunição

A derrota por 3 a 2 diante do CRB, quatro jogos sem vencer na Série B e a proximidade do time da zona de rebaixamento. Os elementos deixam a pressão no Sampaio a cada dia maior. Apesar da campanha histórica na Copa do Nordeste, onde chegou até às quartas de finais, e na Copa do Brasil, onde, pela segunda vez em sua história, avançou para a terceira fase, o técnico Francisco Diá vive dias de incerteza no comando do Tricolor.

A campanha na Série B não chega a ser o principal motivo para tal pressão, uma vez que o elenco Tricolor, desde antes da competição começar, era nitidamente limitado. E aí que mora a grande reclamação de boa parte dos torcedores. Durante o Campeonato Maranhense foram várias apostas em jogadores de 20 a 22 anos, mas que chegavam sem projeção de aproveitamento real.

Marcelinho, Nonato, Alexandre Pinho, Erickys, Shalon, entre outros. Do quinteto, apenas Nonato segue no atual elenco do Sampaio, alternando jogos no banco de reservas e outros sem ser relacionado. Quando começaram as contratações para a Série B, logo após a eliminação no Campeonato Maranhense, houveram reforços bem contestáveis. O que exemplifica esse caso é o atacante Claudio Maradona que chegou, fez apenas dois jogos e pediu as contas.

A falta de elenco fica nítida quando há a necessidade de rodar as peças. No gol, Andrey não tem um substituto de segurança, o que ficou claro quando foi necessário contar com André Luiz ou Warleson no gol. Na zaga, Fredson e Odair estão abaixo dos dois titulares, Joécio e Maracás. O meio-campo, talvez seja o setor mais equilibrado, principalmente no nível dos volantes, mas com a saída de Marlon, ainda não há um jogador com as características do meia no elenco.

Completando, o ataque passa por um momento de reformulação. Apesar dos gols perdidos por Alvinho, o jogador contratado após defender o São Bernardo parece ser a melhor opção no elenco para a função de nove, com Carlão virando opção quando precisar de força ofensiva por cima. Uilliam, que é um dos artilheiros do time na temporada, precisa provar que pode balançar as redes contra adversários complicados, o que ainda não foi uma regularidade na temporada.

Se houver a troca de um treinador, o Sampaio vive o momento ideal para isso, pois será com 10 dias de folga até o próximo jogo, tempo mínimo para uma transição de métodos. Após isso, o Tricolor volta a maratona de jogos e aí, qualquer troca de técnico, será apenas uma mudança de gestor da equipe, já que praticamente não haverá tempo para treinos intensos até o início de junho.

Posts relacionados

One comment

  1. Prezado Bruno, parabens pelo seu comentário, eu moro em Recife, e já me manifestei pela saida do Diá a muito tempo, porque? Ele é um bom técnico, mais não é tecnico de serie B, nunca se deu bem em serie B. Ele sempre se dá bem em serie C, D, aprova esta no proprio sampaio.
    Esse Uilliam, ainda é muito novo, não dá para ser titular e ele insiste, esta acabando com o garoto.
    Falta treino serio para o sampaio, isso se percebe nos jogos.

Join the Conversation

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*