Dia: 30 de abril de 2018

Crise ofusca melhor início da história do Moto na Série D

Lucas Almeida / L17 Comunicação
A vitória diante do Sparta por 1 a 0 e a liderança com seis pontos do grupo A6 na segunda rodada da Série D deveriam ser o ponto alto do Moto. O problema é que a eterna crise financeira do Rubro-Negro ofusca até o bom momento do time dentro de campo, que está em sua quarta participação no torneio.
Nas três oportunidades que disputou a Série D anteriormente, o Moto conseguiu vencer um dos dois primeiros jogos somente em 2016, quando somou um empate e uma vitória contra o Águia. Em 2009, o Rubro-Negro estreou com derrota para o São Raimundo e empatou com o Cristal no Nhozinho Santos, enquando em 2014 foram dois empates com o Remo e o Interporto.
Curiosamente, assim como em 2016, o Moto fecha as duas primeiras rodadas de 2018 com dois gols marcados e sem sofrer gols. Bons números na Série D, mas ofuscados pela péssima situação da equipe fora das quatro linhas.
Salários atrasados desde janeiro e jogadores insatisfeitos, o que chega ao cúmulo com o pedido de demissão coletiva da comissão técnica. Somente para o técnico Marcinho Guerreiro o débito do clube, referente a 2017 e 2018, é próximo dos R$ 20 mil.
Em 2018, com as rendas do Campeonato Maranhense o Rubro-Negro arrecadou R$ 59mil, e diante do Sparta foram, aproximadamente R$ 56 mil. Pela Lei de Incentivo ao Esporte, o Moto recebeu R$ 115 mil no Campeonato Maranhense e R$ 150 mil referentes ao projeto da Copa São Paulo, totalizando R$ 380 mil em recursos recebidos com renda e pela Lei de Incentivo. Agora é aguardar para saber se a crise fora de campo comprometerá o bom início de campanha na Série D.