Sampaio 1×0 ABC: pressão funciona no segundo tempo e Uilliam garante vitória Tricolor

Em um jogo de muita marcação, um erro da defesa do ABC foi crucial para o triunfo do Sampaio. Após a pressão, o pênalti sofrido e convertido por Uilliam, o Tricolor garantiu a vantagem mínima, com a vitória por 1 a 0, para a partida de volta da semifinal da Copa do Nordeste.

Com a entrada de Fumaça no lugar do Bruninho, Danielzinho seguiu pela meia-direita, apoiando o ataque no setor. Para segurar o 4-1-4-1 do Sampaio, Ranielle Ribeiro apostou em um 4-5-1 no ABC, com destaque para o trio central com Marcos Junior, Anderson Pedra e Felipe Guedes, sempre acompanhando a circulação da bola e posicionada de forma a interceptar os passes do time maranhense.

Para quebrar a marcação, o Sampaio primeiro tentou trabalhar as inversões, com Danielzinho achando Alyson. Ainda no primeiro tempo, em uma dos raros momentos de pressão da defesa do ABC, Sobral teria campo livre para avançar, mas sofreu falta. O primeiro tempo foi da defesa potiguar, que soube neutralizar o ataque do time maranhense.

Na etapa final uma mudança importante realizada por Roberto Fonseca foi pressionar a saída de bola dos zagueiros do ABC. Essa alteração na postura do time maranhense foi crucial para o pênalti sofrido por Uilliam. O atacante pressionou Samuel, que errou o passe, e na sequência foi derrubado por Tonhão. Na cobrança, o gol do Tricolor maranhense.

Com o natural desgaste do ABC e a entrada de João Paulo pela esquerda, o Sampaio conseguiu encontrar mais oportunidades. Não ampliou o placar por causa das finalizações erradas de Alyson e Danielzinho, mas o mais importante, além do triunfo, foi sair do Casteção sem sofrer gols e garantindo a vantagem de jogar pelo empate no jogo de volta.

Posts relacionados

Rússia 3×1 Egito: Mário Fernandes é decisivo e garante russos nas oitavas

FIFA/FIFA via Getty Images

Depois de 45 minutos pobres e com apenas uma finalização no gol, a Rússia deslanchou no segundo tempo e garantiu a vitória por 3 a 1 diante do Egito. Triunfo que garante os russos na próxima fase, principalmente por causa do saldo de gols, e elimina o Egito, considerando que a Arábia não surpreenderá o Uruguai.

Toda a vitória russa foi construída pela direita, o lado mais forte ofensivamente. Após o cruzamento de Golovin, a zaga afastou, mas na finalização de Zobnin, Fathi acabou marcando contra. Foi o quinto gol contra de 2018, igualando a quantidade de 2014 e ficando com um a menos que 98, a Copa com o maior número de gol contra até então.

A partir daí a Rússia precisou de apenas mais 15 minutos para garantir a vitória. Márcio Fernandes, em um bom avanço ofensivo, deixou Cheryshev livre para ampliar e no minuto seguinte, o lateral serviu Dzyubia, que fez o terceiro dos donos da casa.

Salah, que teve apenas uma finalização no primeiro tempo, conseguiu descontar de pênalti. Os russos decidirão a liderança do grupo com o Uruguai, que precisa golear a Arábia Saudita para avançar como líder e jogar por um empate na rodada final com a Rússia. O Egito segue sem vencer na Copa do Mundo e vê a participação abreviada após 15 minutos mortais dos russos.

Posts relacionados

Polônia 1×2 Senegal: triunfo construído na velocidade senegalesa

FIFA/FIFA via Getty Images

Um jogo de poucas oportunidades, definido com um gol contra e um erro da defesa polonesa. Senegal estreia com a vitória por 2 a 1, apresentando um futebol razoável e deixando claro que tem condições de brigar pela classificação no grupo mais equilibrado da Copa.

O jogo foi um duelo de estilos, com a Polônia dedicada a controlar e girar a bola tentando buscar espaços, com Senegal apostando em um jogo vertical e de velocidade. Um dos problemas da Polônia foi a fragilidade defensiva.

O primeiro gol senegalês veio exatamente com uma roubada de bola de Niang em cima de Piszczek e o passe para Mané, que achou Gueye. Na finalização, o desvio em Cionek foi determinante para o gol africano.

No segundo tempo a velocidade senegalesa e a indefinição da defesa polonesa foram cruciais. A bola chutada para cima, Pazdan ficou na indefinição para controlar a bola e Niang surgiu como um raio para ultrapassar o zagueiro e o goleiro Szczesny, que saiu errado do gol, para fazer o segundo.

Lewandowski teve apenas uma finalização durante todo o jogo. A seleção polonesa ainda conseguiu descontar com Krychowiak, após cobrança de falta, mas insuficiente para chegar ao empate diante de Senegal.

Polônia e Colômbia farão um jogo de vida ou morte na segunda rodada, enquanto Japão e Senegal já podem definir um dos classificados do grupo H.

Posts relacionados

Colômbia 1×2 Japão: melhor e com um a mais, japoneses estreiam com vitória

Um jogo decidido totalmente nas bolas paradas. Com um gol de pênalti e outro originado de escanteio, o Japão estreou com vitória por 2 a 1 diante da Colômbia, que ainda descontou com Quintero cobrando falta.

Logo no primeiro lance do jogo, Sanchez trocou o que seria o gol do Japão pela expulsão e um pênalti para os Samurais. Na cobrança, Kagawa abriu o placar. Com um a menos, Pekerman segurou até os 30 minutos para alterar a Colômbia. Cuadrado foi sacado para a entrada de Barrios e com isso, Quintero passou a ser responsável pela faixa central e pela ponta-direita.

Barrios conseguiu dar o equilíbrio defensivo e Quintero, principalmente pela ponta, virou o destaque da Colômbia. Inui e Nagatomo pressionvam sempre pela direita, mas não conseguiam levar perigo efetivo. O empate colombiano veio com a cobrança genial de Quintero por baixo da barreira.

Com um a menos, a Colômbia era, estranhamente, superior ao Japão. O cenário mudou no segundo tempo. Ao invés de apelar para a correria o tempo todo, os Samurais fizeram a bola circular mais, adiantando Shibasaki para auxiliar Kagawa por dentro, tentando as jogadas de velocidade somente na última linha de marcação, mas faltava o finalizador.

Quando James entrou no lugar de Quintero, passou a atuar mais por dentro e nitidamente. O triunfo japonês foi garantido após o escanteio cobrado e Osako subir na área colombiana para garantir a vitória japonesa na estreia.

Posts relacionados

Tunísia 1×2 Inglaterra: Kane coroa início fulminante inglês

FIFA/FIFA via Getty Images

Os dois gols de Kane foram o suficiente para a Inglaterra triunfar diante da Tunísia. O atacante inglês precisou de quatro finalizações para garantir os dois gols da vitória inglesa.

A Inglaterra teve um início fulminante. Com o apio de Young e Trippier nas alas, Alli e Lingard tentaram chegar por dentro. Nos 20 minutos inciais, o English Team empilhou chances desperdiçadas, principalmente por Sterling.

Hassen ainda fez três boas defesas, mas viu uma delas sobrar para Kane marcar o primeiro gol do jogo. O empate tunisiano veio com um erro de Walker, em um pênalti infantil. Sassi empatou o jogo.

Hassen até fez um bom jogo, mas por causa de uma lesão, foi substituído ainda no primeiro tempo. Na etapa final, o ritmo do jogo caiu consideravelmente. No minuto final, a bola voltou a encontrar Kane, que novamente balançou as redes, garantindo o triunfo inglês.

Posts relacionados

Bélgica 3×0 Panamá: belgas controlam o segundo tempo e estreiam com vitória

Depois de um primeiro tempo sem brilho, a Bélgica garantiu a vitória tranquila na etapa final. Lukaku, com dois gols, já mostra seu faro de artilheiro logo no primeiro jogo e mostra que poderá brigar entre os goleadores do Mundial.

Mertens era quem mais tentava o gol pela Bélgica, desde o primeiro tempo. A recompensa veio com o golaço, que abriu o placar para os belgas, depois de três tentativas erradas.

De Bruyne em uma partida abaixo do que demonstrou na Premier League acumulou erros de passes, mas foi dele a assistência para o primeiro gol de Lukaku. Uma mudança crucial na Bélgica no segundo tempo foi a saída de Carrasco do apoio pela esquerda, para atuar mais centralizado, por trás de Lukaku, alternativa para furar a defesa do Panamá.

Lukaku voltou a balançar as redes para garantir o 3 a 0 belga. O Panamá, que chega como um dos azarões, teve uma única oportunidade quando Murillo apareceu livre na direita e não aproveitou. Os comandados de Dario Gomez não devem apresentar grande problemas para Tunísia e Inglaterra no grupo G.

Posts relacionados

Suécia 1×0 Coréia do Sul: Granqvist garante vitória sueca

FIFA/FIFA via Getty Images

Um jogo longe de ser brilhante e decidido com um gol de pênalti. O triunfo sueco deixa a seleção nórdica dividindo a liderança do grupo F com o México e torna o confronto contra a Alemanha decisivo para as ambições das duas seleções na Copa do Mundo.

A Suécia escalada no tradicional 4-4-2, tentava chegar principalmente com as bolas alçadas na área para Berg. Quando não era com cruzamentos, os suecos tinham os lançamentos longos como principal arma, mas Berg parou no goleiro Woo.

A seleção coreana teve suas melhores jogadas quando a bola chegava em Hwang pela direita, que levou a melhor em dois duelos pelo setor, mas não resultou em lances perigos. O jogo foi decidido em um pênalti assinalado pelo VAR. Na cobrança Granqvist fez o gol da vitória sueca.

Diferente do México, a Suécia não apresenta um contra-ataque veloz, o que poderia complicar a Alemanha. As bolas lançadas para Berg poderão ser a esperança para os suecos tentarem arrancar pontos dos alemães, que precisam da vitória depois da estreia com derrota diante do México.

Posts relacionados

Brasil 1×1 Suíça: ataque para na defesa suíça e Seleção estreia com empate

FIFA/FIFA via Getty Images

Em um jogo com o ataque atuando mal e um erro da defesa, o Brasil ficou apenas no empate em 1 a 1 com a Suiça. A partida foi marcada por decisões questionáveis da arbitragem, mas não anula o rendimento abaixo do esperado da Seleção Brasileira.

Benhrami foi o responsável por ajudar Lichtsteiner na marcação pela esquerda, onde conseguiu anular Marcelo e Neymar. A estratégia suiça só não deu certo quando a bola encontrou Coutinho, que teve liberdade para executar o seu melhor chute de direita e abrir o placar.

O resto de todo o primeiro tempo foi de um Brasil bem abaixo, apesar das tentativas de infiltração de Paulinho. Pela esquerda, mesmo sem Ricardo Rodriguez ser um exímio marcador, William não encontrou espaços.

Logo no início do segundo tempo, Zuber subiu sozinho e empatou o jogo. A entrada de Firmino, faltando aos 35, até melhorou o setor ofensivo. Em apenas 10 minutos o atacante finalizou duas vezes, enquanto Gabriel Jesus, que começou como titular, conseguiu apenas uma finalização durante a partida, apesar de ter um passe para finalização, que não acabou em gol.

Firmino pede passagem para o time titular. Vive melhor momento que Jesus. Na próxima rodada, contra a Costa Rica, o Brasil precisa da vitória para poder avançar como líder do grupo E, que conta com a Sérvia na liderança no momento.

Posts relacionados

Alemanha 0x1 México: Osório anula alemães e Lozano brilha no triunfo mexicano

FIFA/FIFA via Getty Images

O segundo grande jogo da Copa do Mundo foi protagonizado com a derrota da atual campeã mundial diante de um México muito bem armado por Carlos Osório. O gol de Lozano, ainda no primeiro tempo, veio na proposta mexicana, que foi ensaiada desde o minuto inicial.

O apoio de Kimmich ao ataque alemão, sem nenhum jogador protegendo a defesa dos contragolpes mexicanos foi crucial no primeiro tempo. O México com a marcação sempre bem encaixada e fazendo o equilíbrio perfeito conforme a circulação da bola no ataque alemão, teve a atuação perfeita do primeiro tempo coroada.

Lozano sempre era o responsável pela velocidade do contra-ataque pela direita. Kimmich apoiava o ataque e não tinha como voltar para defender. Os espaços estavam lá para o jovem mexicano, que fez duas boas jogadas e viu Hernandez desperdiçar as oportunidades criadas.

O gol aos 35, após opasse de Hernandez veio exatamente da forma como se ensaiou em todas as tentativas anteriores. Após o intervalo, Low tentou segurar Kimmich defensivamente na direita e os espaços para os contra-ataque surgiam pelo meio, mas agora sem conclusão do time mexicano.

Gallardo, na lateral-esquerda, também foi peça fundamental para o triunfo com sete interceptações e dois desarmes. Kross talvez tenha feito um dos seus piores jogos na carreira, assim como boa parte do time alemão, que mesmo pressionando os mexicanos no segundo tempo, não conseguiram superar o goleiro Ochoa, que fechou o jogo com nove defesas e também foi fundamental para o grande triunfo do México de Osório.

Posts relacionados

Costa Rica 0x1 Sérvia: Mitrovic abusa dos gols perdidos e Kolarov decide

FIFA/FIFA via Getty Images

Mitrovic teve três boas chances para garantir a vitória da Sérvia e, quando não perdeu, parou em Navas. Kolarov, na sua única cobrança de falta no jogo, foi perfeito e fez o gol da vitória sérvia por 1 a 0.

O triunfo diante da Costa Rica poderia ser com uma vantagem maior, o que beneficiaria os sérvios na busca pela classificação para as oitavas de final. A Costa Rica manteve o 5-4-1 apresentado em 2014, mas nem de longe com a mesma efetividade.

Os cruzamentos costa-riquenhos na área sérvia, eram facilmente interceptados pela defesa. No lado sérvio, destaque para Milinkovic, que foi responsável por criar três chances de gols perdidas por Mitrovic. Navas foi fundamental para impedir um triunfo maior da Sérvia ao fazer boas defesas, principalmente na bicicleta de Milinkovic.

Com a vitória por 1 a 0, em alguns momentos a Sérvia transformou o 4-2-3-1 inicial em um 4-5-1 para bloquear os avanços adversários. Essa formação com a linha de cinco e mais recuada no meio-campo é a que provavelmente será utilizada no confronto contra o Brasil. A Costa Rica, sem recursos ofensivos, mostra que dificilmente deverá repetir as surpresas do Mundial de 2014.

Posts relacionados