Eloir precisa de uma boa temporada no MAC para consolidar retorno aos gramados

Em 2017, Eloir retomou sua carreira nos gramados após uma aposentadoria precoce durante dois anos. Como esperado a primeira temporada foi com altos e baixos, mas agora em 2018, voltando a participar de uma pré-temporada completa e com a preparação igual à dos seus companheiros de time, o meia terá até maio os meses para consolidar de vez seu retorno e ajudar o time atleticano com objetivos coletivos.

Em 2017, antes de entrar em campo, Eloir chegou a ser anunciado pelo Moto, mas como não houve um acerto final com o Rubro-Negro, o meia acabou perdendo todo o mês de janeiro. Em fevereiro, quando se apresentou ao MAC, logo em seu primeiro jogo, sofreu uma lesão que o tirou dos campos por um mês. Sinais do longo período parado e o retorno com o Campeonato Maranhense em andamento.

Mesmo com o andamento da temporada, Eloir esteve longe do seu auge físico, o que teve impacto direto em seu rendimento dentro de campo. Mesmo com uma maior liberdade ofensiva, o meia marcou apenas um gol na temporada, com 18 jogos disputados, número semelhante ao de sua carreira no Ceará que durou apenas 19 jogos e com um gol marcado.

Em 2018 com o preparo físico melhor e com a realização completa da pré-temporada, Eloir tende a ser o líder do meio-campo do MAC. Naturalmente haverá uma disputa por esse posto com o experiente Valber, de 36 anos, que chega ao clube atleticano após uma baixa temporada pelo Moto, onde anotou três gols em 23 jogos.

A realização de um bom Estadual para Eloir é fundamental para que o atleta consiga sequência em outro clube no segundo semestre, seja emprestado ou negociado definitivo. Acima de metas individuais, também há a necessidade do MAC voltar a conquistar um título Estadual. Responsável por quebrar a hegemonia do Sampaio em 2013, o Quadricolor está há cinco anos sem levantar uma taça.

Nome
Eloir
Nacionalidade
bra Brasil
Posição
Meia
Time Atual
Maranhão
Aniversário
7 de setembro de 1987
Idade
30

Posts relacionados

Giro do Nordestão: o caminho do Sampaio, Bahia em busca do bi e as possíveis surpresas

Nesta terça-feira a bola começa a rolar na Copa do Nordeste, que contará com a participação de 20 times na fase de grupos. Dentre os maranhenses, como o Cordino foi eliminado pelo Treze na fase classificatória, apenas o Sampaio representará o Estado no torneio, buscando a classificação inédita para a segunda fase da competição em sua quarta participação consecutiva.

Para alcançar o feito inédito, o Tricolor terá que superar o grupo mais difícil da competição, que conta com Ceará, CSA e Salgueiro. Seguindo a lógica natural, o Vovô cearense chega como favorito na briga pelo primeiro lugar, enquanto o Tricolor deve disputar a segunda vaga com o azulão alagoano e o Carcará é o azarão do grupo.

Nas outras chaves, o Bahia é quem desponta como favorito ao título em 2018, na busca de seu bicampeonato na região. Com a ausência do Sport e o processo de recuperação do Náutico e Santa Cruz, Ceará e Vitória aparecem como os times para atrapalhar o Tricolor baiano, enquanto o Altos, apesar da eliminação na primeira fase em 2017, vale a pena ficar de olho como candidato a uma das surpresas do torneio.

O grupo da morte da Copa do Nordeste
Sampaio: em busca da vaga inédita na segunda fase
Após o acesso para a Série B, o Tricolor manteve a base do elenco da Série C, mas perdeu atletas importantes na fase de negociações, como o volante Diego Silva e o atacante Felipe Marques. O ano de 2018 começa com Francisco Diá esboçando um time com seis remanescentes da temporada anterior.

Destaque: Andrey (goleiro). Principal reforço do Sampaio até o momento, o goleiro sobe o nível da camisa 1 do Tricolor, que em 2017 foi defendida por Alex Alves. Além da segurança no gol, tem boa saída de bola com as mãos e com os pés.

Time base: Andrey; Bruno Moura, Maracás, Joécio e James; César Sampaio, Yuri e Fernando Sobral; Marlon, Reginaldo Junior e Uilliam

Ceará: favorito bem reforçado
Assim como Sampaio e CSA, o Ceará fechou 2017 com um acesso, no caso da Série B para a Série A. O elenco mais caro da chave, comandado por Marcelo Chamusca, também aposta na continuidade do elenco da temporada anterior e, apesar da intensa movimentação no mercado, apenas quatro novatos entre os titulares.

Destaque: Luiz Otávio (zagueiro). Contratado pelo Ceará no fim de 2016, o zagueiro cravou seu lugar no time titular e foi fundamental no acesso. A boa capacidade de interceptação e o poderio ofensivo nas bolas paradas são suas principais características.

Time base: Everson, Leandro Silva, Valdo, Luiz Otávio e Ernandes; Richardson, Ricardinho e Pedro Ken; Felipe Azevedo, Andrigo e Elton.

CSA: em busca da recuperação regional
Após a péssima campanha em 2017, quando foi lanterna do seu grupo, o CSA tenta voltar a ter boas apresentações no torneio regional. Semifinalista em 2010, a equipe comandada por Flávio Araújo, que também conquistou o acesso da Série C para a Série B, tentará chegar longe e superar a saída do zagueiro Jorge Felipe, melhor jogador da equipe na última temporada.

Destaque: Daniel Costa (meia). Aos 29 anos anos, o meia que chegou ao CSA em 2017, é o destaque da equipe alagoana. Na última temporada foram 38 jogos disputados e cinco gols marcados com a camisa do Azulão e é a esperança para a equipe conseguir uma boa campanha no Nordestão.

Time base: Mota; Celsinho, Leandro Souza, Lobão e Rafinha; Boquita, Dawhan, Didira, Marcos Antônio e Daniel Costa; Michel

Salgueiro: a zebra do sertão.
Sob o comando do técnico Paulo Junior para 2018, o Salgueiro chega como o azarão do grupo. O Carcará entrou na fase de grupos do Nordestão após herdar a vaga do Sport, que abandonou a Copa do Nordeste.

Destaque: Mondragon (goleiro). Aos 35 anos o goleiro está em sua sexta temporada consecutiva no Salgueiro, com uma breve saída para o Icasa em 2015. Responsável por boas defesas, o goleiro deve ser bastante exigido pelos adversário e terá que ser efetivo para o Carcará sonhar em surpreender na Copa do Nordeste.

Time base: Mondragon; Marcos Tamandaré, Maurício, Luiz Eduardo e Izaldo; Escuro, Jaildo, João Paulo e Neverton; Willian Anicete e Laércio

Fique de olho
Bahia: em busca do bicampeonato
Com o retorno do técnico Guto Ferreiro e bem ativo no mercado, o Bahia aparece como o principal favorito à conquista do título em 2018. Apesar das baixas significativas, com as saídas do goleiro Jean para o São Paulo e o volante Renê Junior para o Corinthians, o Tricolor da Boa Terra conseguiu bons reforços como o goleiro Douglas Friedrich do Avaí, o volante Nilton do Vissel Kobe e o atacante Kayke do Santos.

Destaque: Zé Rafael (meia). Zé Rafael começa a temporada no Bahia, mas ainda sob o assédio de vários clubes, com destaque para o Cruzeiro no momento. Com a possibilidade de atuar nas três faixas do campo, o meia participou diretamente de oito gols do Bahia durante a Série A, balançando as redes três vezes e com sete assistências.

Time base: Anderson (Douglas Friedrich); João Pedro, Tiago, Lucas Fonseca e Léo; Edson, Nilton, Zé Rafael e Régis; Élber e Edigar Junio.

Vitória: Leão quer voltar às finais regionais
Semifinalista nas três últimas edições da Copa do Nordeste, o Leão encabeça a lista das potenciais ameaças ao bicampeonato do Bahia. Após salvar o Vitória do rebaixamento em 2017, Vágner Mancini começa a temporada com metas altas na Copa do Nordeste, onde o Rubro-Negro conquistou o título pela última vez em 2010.

Destaque: Santiago Trellez (atacante). Com as saídas de André Lima, Kieza e David, Tréllez é o artilheiro remanescente do Vitória para 2018. Um excelente achado do Rubro-Negro na janela de julho de 2017, o Colombiano fechou a primeira temporada no futebol brasileiro com 10 gols marcados em 23 jogos e é a esperança do Leão para chegar ao gol dos adversários.

Time base: Fernando Miguel; Lucas, Kanu, Wallace e Bryan; Uillian Correia, Fillipe Soutto, Yago e Kieza; Neilton e Tréllez.

Podem surpreender
CRB: após um 2017 marcado apenas pelo título do Campeonato Alagoano e brigando contra o rebaixamento na Série B, o time comandado por Mazzola Junior tenta voltar a ter uma boa temporada. A zaga é um dos setores de destaque da equipe, com a chegada de Anderson Conceição que deve formar a dupla defensiva ao lado de Flávio Boaventura.

Altos: desde que apareceu na Série D em 2016, o time piauiense figura entre os postulantes a surpresa das competições que participa. Dessa vez sob o comando do técnico Waldemar Lemos, o Jacaré reforçou bem o elenco com destaque para a chegada do meia Roger Gaúcho, vice-campeão da Copa do Nordeste em 2016 com o Campinense.

Globo: embalado pelo inédito acesso para a Série C, o Globo agora tenta mostrar suas credenciais no Nordeste, onde disputa o torneio pela segunda vez. Com apenas cinco anos de existência, o time foi vice-campeão potiguar em duas ocasiões e aposta na permanência do técnico Luizinho Lopes, há 23 meses no comando da equipe, para surpreender na Copa do Nordeste.

Posts relacionados

Bom retrospecto de Marcinho no Campeonato Maranhense é a aposta do Moto para 2018

Foto: Lucas Almeida / L17 Comunicação

Rodrigo Ramos e Jefferson foram as principais contratações do Moto para 2018, que tenta trabalhar dentro de sua realidade financeira para conseguir recuperar o time após o trágico ano de 2017. No banco de reservas, a missão ficará com o Marcinho Guerreiro, em sua segunda temporada como treinador e responsável pelos melhores resultados do Rubro-Negro no ano anterior, que também vê a oportunidade de firmar sua carreira como técnico no Estado.

O treinador, que foi o primeiro nome confirmado para 2018, é uma das principais esperanças para o Moto voltar a conquistar bons resultados logo no Maranhense. Na temporada anterior, quando comandou o Rubro-Negro interinamente em cinco jogos do Estadual, foram três vitórias, um empate e apenas uma derrota (66% de aproveitamento), além de fechar dois jogos sem sofrer gols. Dos adversários que enfrentou no Estadual, o Sampaio foi o único que não perdeu para o Rubro-Negro quando o ex-volante ficou à frente do time, conquistando um empate e sofrendo uma derrota, ambos na semifinal do segundo turno de 2017.

Na nova temporada, a principal vantagem do Moto diante do Sampaio, favorito ao bicampeonato Estadual, será contar com um calendário mais tranquilo. Enquanto o Tricolor terá que revezar rodadas com a Copa do Nordeste e o Estadual, a equipe comandada por Marcinho Guerreiro sempre contará com uma semana completa para realizar os treinos entre uma partida e outra.

Nos dois principais amistosos da pré-temporada o Moto venceu o Santa Quitéria e empatou com o MAC. Considerando que a Raposa deve ser uma das candidatas ao rebaixamento em 2018, enquanto o Quadricolor tem ambições de brigar pelo título estadual, não é exagero dizer que os resultados iniciais deixam o Rubro-Negro mirar o pelotão principal do Campeonato Maranhense.

Posts relacionados

Sampaio deve contar com maior mobilidade no ataque em 2018

Fim de pré-temporada para o Sampaio e agora o Tricolor tem foco total na Copa do Nordeste, onde buscará a inédita classificação para a segunda fase do torneio. Da apresentação do elenco até o jogo contra o CSA, que marcará a estreia do time em 2018, serão 48 dias de preparação sob o comando do técnico Francisco Diá e, provavelmente, com apenas quatro novidades no time titular em relação a 2018.

As poucas mudanças na formação principal do Sampaio evidenciam a confiança do técnico Francisco Diá no elenco para o início da temporada e também a dificuldade para encontrar bons reforços no mercado. Durante o período de negociações, o Sampaio acabou sofrendo revés, em casos como do volante Diego Silva e dos atacantes Felipe Marques e Felipe Alves, que provavelmente seriam titulares.

Dinâmica do Sampaio mudou principalmente com o ataque sem referência

Dentre as novidades, os destaques vão para o goleiro Andrey e o volante Yuri. Andrey chega para aumentar o nível no gol do Sampaio, após uma temporada com Alex Alves como titular. Além da segurança embaixo das traves, a boa saída de bola do camisa 1, seja com os pés ou com as mãos, abre uma possibilidade para explorar contragolpes em velocidade.

Essa capacidade da reposição de bola de Andrey foi explorada por Diá no amistoso contra o River-PI. Em três ocasiões, após ataques do time piauiense, o goleiro recolocava a bola em jogo sempre buscando as jogadas pelas pontas com Reginaldo Junior e Uilliam.

Quando recupera a bola Andrey busca os pontas para iniciar o ataque do Sampaio

No meio-campo, Yuri demonstra que realmente deverá ser o meio-campista completo para a função de Diego Silva. Assim como seu antecessor, o volante tem boa capacidade de desarme e passe, com possibilide de recuperação rápida de bola e iniciar imediatamente uma jogada ofensiva.

Na forma de jogar do Sampaio, o destaque vai para o ataque com maior mobilidade quando Uilliam, Marlon e Reginaldo Junior integram o time. O problema é que esse aspecto é explorado principalmente no meio-campo, mas na terço final há uma tendência em buscar o cruzamento para uma eventual referência na área. Some-se a isso a dificuldade da equipe em finalizar. No amistoso contra o River-PI, apenas dois chutes foram na direção do gol, sendo um deles a finalização acidental que César Sampaio, que contou com a falha do goleiro Robson para empatar o jogo.

Até a estreia contra o CSA, Diá terá uma semana para corrigir os aspectos ofensivos do Sampaio. Curiosamente o confronto contra os alagoanos já pode ser encarado como uma decisão antecipada, uma vez que as duas equipes são vistas como as principais candidatas à segunda vaga do grupo nas quartas de final, uma vez que o Ceará é o favorito e o Salgueiro visto como azarão.

Posts relacionados

Treze 1×0 Cordino: nova derrota fora do Maranhão e Onça fora da Copa do Nordeste

A derrota por 1×0 diante do Treze selou a eliminação do Cordino na pré-Copa do Nordeste. O gol de Edinho Canutama, aos 39 do segundo tempo, foi crucial para a despedida da Onça de seu primeiro torneio regional na regional na história.

Além da eliminação, o Cordino mantém o histórico negativo longe do Maranhão. Desde 2017, quando a Onça disputou a Série D pela primeira vez, são quatro jogos fora do Estado e quatro derrotas seguidas.

Fora da Copa do Nordeste, o Cordino agora terá mais tempo para se preparar para o Campeonato Maranhense. Os comandados de Leandro Lago terão10 dias para se preparar do olho no jogo contra o Santa Quitéria.

Posts relacionados

Cordino busca feito inédito para avançar na Copa do Nordeste

Após o empate em 1 a 1 no jogo de ida, o Cordino precisa vencer o Treze ou de um empate a partir de 2 a 2 para garantir a vaga na fase de grupos da Copa do Nordeste de 2018. Para garantir esse feito, a Onça precisará deixar para trás o péssimo histórico fora do Maranhão, que conta com três derrotas em três jogos disputados.

O Cordino começou a disputar torneios nacionais em 2017, com sua primeira participação na Série D. Nos três jogos que realizou fora do Maranhão saiu derrotado diante do Altos (4-0), Tocantins (1-0) e Santos-AP (2-1), o que colaborou para a eliminação da equipe de Barra do Corda na fase de grupos.

Além das derrotas, a Onça conseguiu marcar apenas um gol como visitante, o que não será suficiente no confronto contra o Treze. Do elenco que disputou a Série D, a espinha dorsal foi mantida no Cordino, com o zagueiro Da Silva, o volante Junior Negão e o meia Ulisses, que é o maior artilheiro da história da equipe de Barra do Corda.

Em caso de novo empate em 1 a 1 a decisão da vaga na fase de grupos irá para os pênaltis. O classificado no confronto entre Cordino e Treze entrará no grupo A, que conta com Santa Cruz, CRB e Confiança.

Posts relacionados

Giro do Nordestão: decisão na fase preliminar e mercado agitado na Bahia

Globo e CSA selaram suas vagas na fase de grupos da Copa do Nordeste ainda em 2017. Restaram Cordino x Treze e Itabaiana x Náutico para definirem suas vidas nas primeiras semanas de 2018, que além da vaga na fase de grupos do torneio, também representará a entrada de mais R$ 500 mil no caixa das equipes classificadas.

O primeiro time a selar seu futuro no Nordestão em 2018 será Treze ou Cordino. No jogo de ida, no Maranhão, as duas equipes ficaram no 1 a 1. No jogo de volta, quem vencer avança e a Onça de Barra do Corda joga por um empate a partir de 2 a 2 para se classificar diretamente. Na outra decisão Itabaiana e Náutico empataram sem gols no jogo de ida.

Enquanto o quarteto luta por uma vaga na fase de grupos, as demais equipes seguem a preparação, com destaque para o mercado intenso na Bahia. Entre os maranhenses, o único garantido na fase de grupos é o Sampaio, que enfrentará o CSA, Ceará e Salgueiro.

Bahia: volta de Guto Ferreira
O técnico Guto Ferreira, que trocou o próprio Bahia pelo Inter em 2017, está de volta ao Fazendão. O treinador é apenas uma das muitas movimentações do Tricolor da Boa Terra no mercado, que vendeu o goleiro Jean para o São Paulo e Juninho Capixaba para o Corinthians. Entre as chegadas, destaque para o lateral Mena e o atacante Élber.

O Bahia ainda pode perder o meia Zé Rafael, que entrou na mira do Cruzeiro. A pedida dos baianos, no momento, gira nos € 4 milhões.

Ceará: atacantes não faltam
Recém-promovido para a Série A, o Ceará mantém a base do acesso na Série B e com destaque para a renovação do técnico Marcelo Chamusca. O treinador cruzará o caminho do Sampaio pela primeira vez desde sua demissão do Tricolor em 2016. Ironicamente, Chamusca deixou o time maranhense após uma derrota para o Ceará, em Fortaleza.

No elenco alvinegro o destaque vai para o ataque. São 10 atacantes no elenco do Vozão para 2018, dentre os quais estão Felipe Azevedo, Luidy e Douglas Coutinho, reforços apresentados para a temporada.

CSA: Flávio Araújo e Kível se reencontram
Atual campeão da Série C, o CSA dá continuidade ao trabalho que começou na reta final de 2017. Flávio Araújo chegou e levou o time alagoano à conquista do torneio e voltará a trabalhar com Leandro Kível, que foi um de seus comandados no Sampaio em 2013. O treinador também terá o primeiro reencontro com o time maranhense, após a sua saída em 2016, quando comandou a equipe pela terceira vez.

No mercado, a principal baixa do CSA foi o zagueiro Jorge Felipe, referência da zaga na Série C, que foi para o Deportivo Aves. No momento, Lobão, que era opção no banco de reservas, ganhou a vaga no time titular do Azulão para a estreia na Copa do Nordeste.

Altos: Waldemar Lemos e meio-campo reforçado
O Altos disputará sua segunda Copa do Nordeste e ainda com o status de possível surpresa. Agora sob o comando de Waldemar Lemos, que comandará o segundo clube piauiense em sua carreira, o Jacaré sonha com a classificação para a segunda fase.

Para alcançar esse feito, além de esperar o retorno da boa fase do atacante Manoel, o time piauiense investiu forte no meio-campo. O experiente Roger Gaúcho, vice-campeão da Copa do Nordeste com o Campinense em 2016, e o meia Éder Guerreiro, que teve uma passagem apagada pelo MAC por causa de lesões, chegam com a missão de colocar o time piauiense em destaque no Nordeste.

Vitória: chegam laterais e novela com atacantes
Os laterais Lucas e Bryan acertaram com o Vitória para 2018 e reforçarão a equipe comandada por Vagner Mancini. O treinador agora tem que lidar com a indefinição do ataque Rubro-Negro para a temporada. Trellez e Kieza interessam, respectivamente, ao Santos e ao Botafogo.

Caso a dupla deixe o Vitória, o Rubro-Negro perderá os quatro principais goleadores de 2017. André Lima foi o artilheiro do time na última temproada com 15 gols e já se despediu do time, enquanto David, terceiro goleador com 11 gols, acertou com o Cruzeiro. Kieza foi o vice-artilheiro em 2017 com 12 gols, enquanto Trellez balançou as redes em 10 oportunidades.

Posts relacionados

Campeonato Maranhense 2018 terá apenas dois treinadores campeões

Os técnicos Meinha, do Maranhão, e Francisco Diá, do Sampaio, serão os únicos treinadores na frente de seus times no Campeonato Maranhense, que já levantaram a taça da competição em outra oportunidade. O treinador atleticano já foi campeão no comando do MAC e do Sampaio, enquanto Diá conquistou o torneio com o Tricolor em 2017.

Enquanto Diá conta com um título recente, que marcou o início de sua passagem pelo Sampaio, a última conquista de Meinha fará 11 anos e 2018. O ex-volante foi o comandante do MAC em 2007, quando encerrou um jejum de sete anos da equipe atleticana sem conquistar o Campeonato Maranhense. Antes disso, o treinador comandou o Sampaio na conquista do tricampeonato em 1993.

Francisco Diá foi campeão em seu primeiro Campeonato Maranhense, após assumir o Sampaio que foi eliminado na fase de grupos do primeiro turno. No segundo turno, após eliminar o Moto na semifinal, venceu o Cordino nas duas decisões para garantir o 33º título do Tricolor.

Entre os treinadores que ainda não foram campeões, Marcinho Guerreiro (Moto) e Paulinho Kobayashi (Imperatriz) disputaram o Maranhense pela segunda vez na carreira. Vale lembrar que Marcinho comandou o Rubro-Negro de forma interina na reta final do Campeonato Maranhense de 2017, antes de ser eliminado pelo Sampaio na semifinal do segundo turno.

Fecham a lista dos treinadores no Campeonato Maranhense, o português Luís Miguel, que comandará o São José, Erasmo Forte, que está de volta ao Bacabal, Marquinhos Fumê no Santa Quitéria e Leandro Lago no Cordino.

Posts relacionados

Sampaio e Moto vencem e Imperatriz perde em amistosos

O primeiro fim de semana de 2018 foi marcado por amistosos de pré-temporada das equipes maranhenses. No sábado, o Imperatriz perdeu para o Paragominas, enquanto Moto e Sampaio venceram seus jogos preparatórios no domingo.

No interior paraense, diante do Paragominas, João Neto selou a vitória dos donos da casa por 1 a 0 diante do Imperatriz. Na partida, Paulinho Kobaysahi escalou o Cavalo de Aço com Jean; Léo, Maycon, Tiago e Jefferson Abreu; Balão Marabá, Daniel Barros e Rubens; Manu, Kaká e Junior Chicão.

No domingo, em São Luís, o Moto começou o dia vencendo o Santa Quitéria com tranquilidade, por 3 a 0. Os gols do jogo foram marcados por Lucas Bacelar, André Mensalão e Robinho. O Rubro-Negro, escalado pelo técnico Marcinho Guerreiro foi escalado com Rodrigo Ramos; Diego Renan, Betão, Wanderson e Guilherme; Rafael Santos, Bruno Menezes, André Mensalão e Jailson; Ricardo Maranhão e Lucas Bacelar, enquanto o Santa Quitéria, comandado por Marquinhos Fumê contou com Laerte; Tiaguinho, Renato Felix, Leomar e Carneirinho; Clyton, Pelé, Marcelo Maia e Rodrigo Sá; Rogerinho e Toquinho.

Fechando a rodada de amistosos, o Sampaio venceu o River-PI por 1 a 0, no Albertão. Erickys marcou o gol da vitória Tricolor no segundo tempo. Comandado pelo técnico Francisco Diá, o Tubarão foi escalado com Andrey; Junio Rocha, Fredson, Maracás e James; César Sampaio, Yuri, Fernando Sobral, Marlon e Wellington Rato; Uilliam.

O Imperatriz deve anunciar mais um amistoso antes da estreia no Campeonato Maranhense, enquanto o Sampaio volta a encarar o River-PI, dessa vez em São Luís, na próxima quinta-feira. No sábado, MAC e Moto realizam um Maremoto amistoso, no Nhozinho Santos.

Posts relacionados

Cordino 1×1 Treze: empate no fim mantém Onça com esperanças no Nordestão

Campo pesado, apenas quatro jogadores no banco e a estreia do Cordino com empate em 1 a 1 com o Treze, na pré-Copa do Nordeste. O resultado e as circunstâncias não foram as melhores para o primeiro jogo da temporada do futebol maranhense, já que a Onça precisará de um triunfo ou qualquer empate acima de 1 a 1 no jogo de volta para se classificar.

No primeiro tempo praticamente não existiu futebol. Com muitas poças em campo, os dois times foram extremamente prejudicados. O Treze saiu na frente com Tininho e conseguia criar melhores chances, principalmente quando avançava pela direita, enquanto o Cordino só chegava nas oportunidades que apareciam com cobranças de falta.

Na etapa final, Jonas chamou a responsabilidade no ataque do Cordino. Com a velocidade que se destacou no Santa Quitéria e MAC criou algumas chances, mas não fez o gol. O empate do Cordino começou exatamente com uma cobrança de falta, que contou com Fábio Lima aproveitando o rebote para empatar o jogo.

O jogo de volta contra o Treze será apenas a quarta vez do Cordino atuando longe do Maranhão. Nas três ocasiões anteriores, a Onça conseguiu apenas um gol como visitante, o que poderá ser até suficiente para a classificação, desde que os paraibanos não balancem as redes. Leandro Lago terá até o dia 11 para regularizar todos os jogadores e tentar achar uma estratégia para garantir a vaga inédita do Cordino na fase de grupos da Copa do Nordeste.

Posts relacionados